terça-feira, 31 de março de 2009

Skype no iPhone

A Skype já lançou a muito esperada aplicação para possibilitar a comunicação VOIP entre utilizadores Skype com o iPhone.


A aplicação permite arrancar nas redes GPRS, 3G e Wi-Fi mas na verdade, para fazer chamadas de voz só é mesmo possível por Wi-Fi. Com as outras ligações podemos fazer apenas chat (e já é bem bom).

Acho importante este avanço da Skype ao colocar no iPhone a sua aplicação, dotando-o cada vez mais de melhores condições.


É de notar ainda que a aplicação tem também muito bom aspecto (é muito semelhante ao estilo da versão desktop para Mac -que já era bem mais vistosa e prática que a versão Win).

Porreiro, pá!!!

segunda-feira, 30 de março de 2009

Acrônimo: SLB

Sr.
Lucílio
Batista


Ainda não passou a "malaise" vermelha...

domingo, 29 de março de 2009

CAPUCHINHO VERMELHO... em versão tásaver?


Tás a ver uma dama com um gorro vermelho?
Yah, essa cena!

A pita foi obrigada pela kota dela a ir à toca da velha levar umas cenas, pq a velha tava a bater mal, tázaver? E então disse-lhe:
- Ouve, nem te passes! Népia dessa cena de ires pelo refundido das árvores, que salta-te um meco marado dos cornos para a frente e depois tenho a bófia à cola!

Pá, a pita enfia a carapuça e vai na descontra pela estrada, mas a toca da velha era bué longe, e a pita cagou na cena da kota dela e enfiou-se pelo bosque. Népia de mitra, na boa e tal, curtindo o som do iPod...

É então que, ouve lá, salta um baita dog marado, todo chinado e bué ugly mêmo, que vira-se pa ela e grita:
- Yoo, tá td? Dd tc?
- Tásse... do gueto alí! E tu... tásse? - disse a pita
- Yah! E atão, q se faz?
- Seca, man! Vou levar o pacote à velha que mora ao fundo da track, que tá kuma moka do camano!
- Marado, marado!... Bute ripar uma até lá?
- Epá, má onda, tázaver? A minha cota não curte dessas cenas e põe-me de pildra se me cata...
- Dasse, a cota não tá aqui, dama! Bute ripar até à casa da tua velha, até te dou avanço, só naquela da curtição. Sem guita ao barulho nem nada.
- Yah prontes, na boa. Vais levar um baile katéte passas!!!

E lá riparam. Só que o dog enfiou-se por um short no meio do mato e chegou à toca da velha na maior, com bué avanço, tázaver? Manda um toque na porta, a velha "quem é e o camano" e ele "ah e tal, e não sei quê, que eu sou a pita do gorro vermelho, e na na na...". A velha abre a porta e PIMBA, o dog papa-a toda... Mas mesmo, abre a bocarra e o camano e até chuchou os dedos...
O mano chega, vai ao móvel da velha, saca uma shirt assim mêmo à velha que a meca tinha lá, mete uns glasses na tromba e enfia-se no VL... o gajo tava bué abichanado mêmo, mas a larica era muita e a pita era à maneira, tásaver?

A pita chega, e tal, e malha na porta da velha.
- Basa aí cá pa dentro! - grita o dog.
- Yo velhita, tásse?
- Tásse e tal, cuma moca do camâno... mas na boa...
- Toma esta cena, pa mamares-te toda aí...
- Bacano, pa ver se trato esta cena.
- Pá, mica uma cena: pa ké esses baita olhos, man?
- Pá, pa micar melhor a cena, tázaver?
- Yah, yah... E os abanos, bué da bigs, pa ke é?
- Pá, pa poder controlar melhor a cena à volta, tázaver?
- Yah, bacano... e essa cremalheira toda janada e bué big? Pa que é a cena?
- É PA CHINAR ESSE CORPO TODO!!! GRRRRRRRR!!!!
E o dog manda-se à pita, naquela mêmo de a engolir, né? Só que a pita dá-lhe à brava na capoeira e saca um back-kick mesmo directo aos tomates do man e basa porta fora!

Vai pela rua aos berros e tal, o dog vem atrás e dá-lhe um ganda-baite, pimba, mêmo nas nalgas, e quando vai pa engolir a gaja aparece um meco daqueles que corta as cenas cum serrote, saca de machado e afinfa-lhe mêmo nos cornos. O dog kinou logo alí, o mano china a belly do dog e saca de lá a velha toda cheia da nhanha. Ina man, e a malta a gregoriar-se toda!!!

E prontes, já tá...

sábado, 28 de março de 2009

Música da Semana: The Cure "Wish"

Façam já play para irem ouvindo uma das canções desta semana...

The Cure "Trust" (live in Gastonbury '95)


Há bandas que são icónicas pelas mais diversas razões.
The Cure é uma delas... e de que maneira!

É icónica não só pela eterna enorme cabeleira de Robert Smith e os seus lábios pintados de vermelho vivo.
São icónicos por serem uma banda única, com sonoridade gótica e com visual á altura, vestimentas negras que estabelecerem como o padrão do género há algumas décadas... uma banda que já nos chega desde os anos 70!!! Precisamente desde 1976.

Não posso dizer que fui desde sempre um adorador de tudo o que a banda fez. também nunca me identifiquei com o movimento gótico e aquelas vestimentas negras. Mas as canções deles... isso já é outra conversa.

Há sempre aqueles temas incontornáveis, tais como "Love Song", "The Lovecats", "Close To Me" ou o eterno super-hit de sempre "Boys Don't Cry".
No entanto, se apesar de não me identificar com tudo que faziam, há um álbum deles que idolatro fervorosamente e ao nível de degustação segundo-a-segundo:
"Wish" (1992)

É um álbum que foi marcante na minha juventude. Um dia um tipo deu-me uma cassete com o "Wish" e nunca mais larguei aqueles minutos de música. Se na altura o Walkmen era o rei, ainda hoje habita facilmente cá nos meus iPod nano e iPhone.

Curiosamente são as faixas mais densas e dramáticas que tornei inseparáveis. Todo o álbum é saboroso mas há momentos mais intemporais que outros, tais como os temas "Open", "Apart", "From the Edge of the Deep Green Sea", "Trust", "A Letter to Elise", "To wish impossible things" e "End".
São temas como os que sublinhei a bold que fazem o tempo ficar suspenso. Os arranjos a piano e as cordas de violino, ombreados pelas guitarras hipnóticas e tridimensionais, onde são sobrepostas as letras que R. Smith canta ora tristes, ora enigmáticas, ora românticas.

Um álbum muito alternativo, melancólico... é certo mas pujante.
Maravilhoso!

Recentemente, em 2008, lançaram um novo álbum, o "4:13 Dream", que já vou ouvindo há algum tempo (sacado e já sem a dedicação de outros tempos, por ter menos tempo) e que tem uma sonoridade que curiosamente remete imenso para o "Wish". Chega mesmo a parecer um continuação (basta ouvir as duas faixas de inicio e algumas mais à frente) mas é só isso... pois não está ao mesmo nível por tem vários momentos muito entediantes que abalam a unidade do álbum como um todo.

Deixo-vos com mais uma performance ao vivo de "Wish". É que não há videos das canções que pretendo destacar...

"Apart" (live in London '92)


sexta-feira, 27 de março de 2009

Vodafone lança serviço de TV para iPhone


A Vodafone Portugal, está continuamente de parabéns. Depois de se ter oferecido para aceitar o iPhone 3G, depois de ter solucionado o MMS, de recentemente nos ter dado o Visual Voice Mail... eis que com um certo espanto, lança o serviço de Mobile TV para o iPhone.


Vodafone Mobile TV

É mesmo já se pode ver televisão no iPhone... e com 24 canais à escolha!

A oferta de canais inclui 4 canais nacionais (RTP, SIC, TVI e SIC Noticias) e também uma selecção dos melhores canais internacionais de música, entretenimento, notícias, infantis e documentários. Há a possibilidade de subscrever à parte mais 3 canais para adultos, que com estes completam a oferta de 27 canais.


A aplicação encontra-se na AppStore e é gratuita.
Funciona apenas com a ligação 3G (isto vai ter muito impacto no plafond de tráfego disponibilizado para o iPhone) e requer subscrição com várias opções de escolha para acesso ilimitado aos canais: diária (€ 0,89), semanal (€ 1,97) ou mensal (€ 7,44). A aplicação permite ainda facilmente desligar as subscrições (deixa de ser necessário recorrer ao serviço de atendimento). É bem pensado e bastante iPhone-like.


Com este serviço da Vodafone, o iPhone fica ainda mais interessante. A aplicação funciona bem (ainda não é perfeita) e os canais notam-se bem que foram desenvolvidos para funcionar noutros telemóveis. Os canais estão em 4:3 com qualidade reduzida, portanto não tiram partido do formato widescreen e a resolução do iPhone. No entanto, ao fazer encher o ecrãn do iPhone ficam em qualidade ainda aceitável para visualização. Compreende-se... se fossem canais mais valentes na qualidade da imagem e até no som, o tráfego 3G ascenderia a níveis bem perigosos.

Para já serve muito bem e está OK.

Já não há razão de ter inveja da TMN com o serviço MeoMobile...

Vodafone Mobile TV
Clique aqui para ir para a AppStore no seu iTunes
Clique aqui para saber mais no site da Vodafone PT.

O som em formato digital...

"Os audiófilos extremamente exigentes que gastam milhares de euros com amplificadores a válvular e cabos revestidos a ouro têm por hábito barafustar contra aquilo a que consideram ser a qualidade medíocre dos iPods e do formato MP3 em geral."

(...) "Tal como os jovens de agora, os vinílicos inveterados habituaram-se tanto ao crepitar característico do som da agulha a passar pelas ranhuras das longas rodelas pretas que não conseguem aperceber-se da diferença de qualidade objectiva que há em relação ao som puro e cristalino do CD."

(...)"Os jovens preferem cada vez mais o som dos MP3s em detrimento de outros formatos com uma melhor qualidade sonora." e "esta preferência pelos MP3s está associada ao facto de eles se terem acostumado a este som e não tanto à (falta de) qualidade deste codec de compressão de áudio." E que "esta habituação ao MP3 é comparável à adoração pelos discos em vinil daqueles audiófilos que não conseguem ouvir música senão em gira-discos caríssimos." In Remixtures (excertos e foto)

Ora bem... estas palavras são, para mim, a evidência da conjectura do avanço dos tempos e do que é conveniente nos dias de hoje.
Nos dias de hoje, para a nova geração o que interessa é o que é prático-funcional e no instante que querem. Eu tenho de admitir que a inicio, há 10 anos atrás, tive sempre uma certa aversão a música em formato mp3, que ainda dava os primeiros passos, e que o correcto era ter o CD original. Não é à toa que tenho centenas de CDs... hoje em dia ao pó.

Tenho discos em vinil, em CD e em ficheiro digital e tenho de dizer que releguei para a reforma todo o equipamento que tinha (aparelhagem midi hi-fi muito jeitosa - com leitor de 5cds, gira-discos, duplo deck de cassetes, radio, amplificador, colunas) e a substitui por um kit home cinema de uma peça só (aquilo tem radio, lê cds, dvd, superAudio CD, como é integrado lê directamente o som DTS, etc). E obviamente que tenho um computador em casa, um iMac...

Assim o vinil ficou afastado em definitivo (também não tinha assim muitos), agora tenho uma meia-parede de cds a apanhar pó precisamente porque todasas faixas que me interessam (ou alguns albuns inteiros) todos ripadinhos em AAC no iTunes. Tenho um iPod nano, que foi reformado pelo magnifico iPhone... e acreditem: o ficheiro digital é o único que me interessa.
Tenho albuns em versão 5.1... e bahh... só os ouvi duas ou três vezes no máximo, lá na minha sala!

No fim, o que prevaleceu foi o método mais cómodo e prático. Essa é que é a verdade. O formato digital é isso que representa: é conveniente e plenamente satisfatório.

No entanto, não se pode acusar de que o MP3 é todo ele apenas som de porcaria.
Depende...

Se for criado apartir do CD original, ripado com boa resolução, o som ficará óptimo. Eu sou ainda de opinião que é até melhor o formato AAC, quando ripado de um CD a uma boa resolução (apartir de 192 khz ou mais). Sempre me pareceu que o som do MP3 soa menos cristalino que o do AAC, que acho um formato mais indicado para rock, pop, géneros acústicos, etc. Por outro lado o MP3 é mais rico em graves (ou pelo menos sente-se os graves e linhas de baixo mais acentuados), logo mais acertado para escutar som com muita batida electrónica (house, dance, etc).

O problema da falta de qualidade dos formatos musicais digitais, notam-se quando não se obtém de originais (CD), sente-se especialmente quando se opta por descarregar da internet de locais manhosos de partilha. Acontece que destes meios nunca se sabe a qualidade da ripagem das faixas e pode até acontecer de obtermos ficheiros MP3, obtidos de CDs feitos de faixas em MP3, ou de MP3 com sobreelevação da resolução (tipo est6avam em 128 khz e foram passados a 320 khz) que piora ainda mais a qualidade sonora (passando mesmo a ser notória o fraco som).
Que ninguém se engane que formatos populares como o MP3 ou AAC ou WMA, são ficheiros obtidos por compressão do som original, onde imensas frequências sonoras são descartadas. Normalmente são as frequências que em teoria o ouvido humano não as escuta mas que juntas com as outras todas refinam a excelência sonora (mas para isso é necessário uma qualidade hi-fi de reprodução de grande categoria -os sistemas audiófilos bem caros)

Mas claro, cada qual tem a sua forma de ouvir e sentir o som, e já que me refiro à reprodução em leitores digitais muita influência tem também a qualidade dos auscultadores dos dispositivos.

Uma outra situação é ouvir em espaço aberto (sem os auscultadores) os ficheiros digitais em volumes bem altos. Contudo, para ser escutado alto e sem auscultadores, merece também de um novo ecossistema de audio.

Não é conveniente reproduzir numa bruta aparelhagem hi-fi de estilo old-school (com aqueles componentes todos empilhados uns encima dos outros). O mais acertado nos dias de hoje são os leitores portáteis digitais reproduzirem o seu som para sistemas de colunas adequadas ao som dos leitores.

É aí que se escutará a proeza de trazer no bolso a nossa própria discoteca, por vezes até totalmente completa.
São estas colunas desenhadas para reproduzir som de formatos comprimidos que fazem toda a magia a disfarçar-potenciar um som que à partida não deveria ser de tão boa qualidade.
Mas que tocam bem... lá isso tocam!

O ecossistema torna-se assim bem diferente dos tempos antigos, quando trazíamos os conteúdos para reproduzir nos diferentes locais (discos vinil, cassetes... ou CDs) -em casa, nos amigos, no carro- equipados com vários sistemas de reproduzir como os gira-discos, decks de cassetes, leitores de CD.
Nos dias de hoje o mais acertado é trazer o reprodutor cheio com os conteúdos e apenas ligar a equipamentos que reproduzem o som (auscultadores ou colunas).

Tudo o que gosto está no iPhone, na imagem, que me serve em todo o lado, o que pretendo ouvir.
(Ora com auscultadores, ora com as colunas, ora com o emissor FM, etc)

Pode-se até dizer que a música nos dias de hoje é ainda mais pessoal que noutros tempos. Passamos do disco de um artista para autênticas jukebox com todos os artistas que gostamos (e até os que nem sabemos que gostamos).
Os tempos mudaram muito!

quinta-feira, 26 de março de 2009

A publicidade da Iniciativa Dharma... nos anos 70!

Ahh, pois... dos anos 70!!!

Não está aperceber? Então é porque não acompanha a série Lost (Perdidos) ou ainda não chegou à 5ª temporada.

Estes "anúncios" que foram retirados de revistas dos anos 70, revelam-nos o cuidado comunicativo cheios de subtilezas que estes criativos, oops perdão que me enganei, a Iniciativa Dharma (assim é que está correcto) já tinha naquela época... eh, eh, eh!
Ah... e é sempre bom ver publicidade vintage! Ainda bem que álguém os guardou nos bolsos para a podermos apreciar no nosso "tempo actual".




Very cool!
A mensagem do "fumo" do tabaco... a van azul... o chat por computador... a do submarino... tudo excelente!

Vintage Dharma Ads (do Flicker Hot Meteor) e descobertas no blog "Internet para todos".

quarta-feira, 25 de março de 2009

Barbie... FIAT 500 Barbie


E mudando de tema (o de ontem foi triste demais)...

A comemoração dos 50 anos da existência da bonequinha Barbie tem sido forte.

Mas não é bem sobre a boneca este artigo (eu gostava mais do He-Man por ex. e obviamente, por isso nada percebo destas bonecas de alta costura).

E olhem...a moda Barbie até já chegou aos automóveis!
E não é só para os bancos de trás ou os da frente (epá, isto dito assim lembra outros usos automóvel...). Agora é por todo o veículo!
É o FIAT 500 Barbie! Uau...

FIAT 500 barbie



Combina bem com este automóvel (muito compacto) pois ele já tem um certo ar de toy.
Pensando bem, nunca gostaria destas cores... por dentro e por fora... xiiiça!!

terça-feira, 24 de março de 2009

Mário Gamito, até sempre!

Uma notícia bem triste:
Mário Gamito já não se encontra entre nós, desde ontem.
Decidiu deixar-nos. RIP.

Este geek old-school, entre muitos méritos foi o fundador do portal-agregador Planet Geek e tinha ainda um blog, o Apeadeiro onde dissertava sobre Linux e tecnologias, mas também sobre os seus gostos, a música (Pink Floyd e a sua categoria a tocar guitarra), o futebol do seu Sporting e onde demonstrava o seu orgulho pelo seu filho (agora com 10 anos)...
Lá se foram as minhas saudáveis "trocas de comentários" sobre os seus posts de Pink Floyd... ou até mesmo quando o Sporting perdia com o meu Porto também.


Mário Gamito, até sempre!



Por fim, dedico-lhe uma canção em guitarra acústica (como ele apreciava), interpretada por quem ele também muito idolatrava (David Gilmour junto de Rick Wright, dois membros dos Pink Floyd... o último também já falecido há alguns meses). Apesar de ele ser mais apreciador da era Roger Waters...

Este tema é ainda mais intrincado na sua origem pois é da carreira a solo de Syd Barret, um membro fundador dos Pink Floyd (também já falecido), que só permaneceu na banda até ao segundo álbum. Alguém que desde bem cedo acabou na solidão e que mais tarde veria os outros membros dedicarem-lhe o álbum "Wish You Were Here". Ele, Mário Gamito, teria compreendido isto imediatamente...

E adequadamente canta-se sobre os dominós que todos somos.
Também caímos... sozinhos ou rodeados... mas caímos na mesma.

"Dominoes" David Gilmour (ao vivo com Richard Wright)



segunda-feira, 23 de março de 2009

A sincronização do iTunes... e os conteúdos (parte 2)

Ainda sobre a sincronização de conteúdos com o iTunes (continuação da parte 1)

Mas mesmo assim, acho que o método poderia ser melhorado...

Agora vejamos de outra forma esta questão pois o que a Apple ainda não conseguiu resolver foi o crescente uso do iTunes por todos. Especialmente num ambiente familiar ou quando se tem mais que um computador.

A falha reside na impossibilidade de ter a mesma library do iTunes repartida por vários pontos de acesso, ou pelo menos em comunicação com outras librarys.
Os iPods ou o iPhone não tem culpa do facto de não se poderem ligar a vários pontos diferentes.
É o iTunes, que deveria ter um modo como um servidor de conteúdos e centralizar num único local os dados e conteúdos dos varios acessos.
Mas para isso acontecer na perfeição, deveria de existir da parte da Apple um novo produto para isso fazer sentido também, pois não pode um qualquer computador (Mac/PC) se ocupar dessa missão.

A Apple deveria ter uma espécie de iTunes Home Server, que poderia ser uma espécie de aparelho com aspecto de AppleTV mas só de armazenamento e que teria como slaves todos os iTunes dos outros computadores ou até os outros computadores.
No fundo, não seriam só os dispositivos a sincronizar para um iTunes de um Mac/PC, como também de tempos a tempos cada iTunes de cada um Mac num mesmo ambiente, teria de sincronizar para esse produto centralizador a validade dos conteúdos. O objectivo era, por exemplo num ambiente familiar, as canções de um mesmo álbum existirem uma só vez no armazenador e todos os outros ligados, com as devidas permissões usarem e terem acesso esses ficheiros.

A verdade, é que pelo que tenho constatado, num mesmo local, em casa ou não, existem muitas cópias da mesma coisa e isso acaba por ser desnecessário. Isso acontece imenso com músicas e fotos.

Eu adorava ter um equipamento que centrasse tudo aquilo que em minha casa são conteúdos e com isso todos poderem ter acesso. Este principio poderia ser extendido para os videos e para a fotografia. No caso da fotografia o método aplicaria-se igualmente ao iPhoto e de certa forma uma segunda fonte de origem dos videos poderia ser proveniente da library do iMovie também. No fim, um centralizador/servidor de conteúdos funcionaria como uma iTunes Store local e caseira!

domingo, 22 de março de 2009

Perguntas escandalosas feitas a operadores de call center (parte2)

AS PERGUNTAS MAIS ESCANDALOSAS QUE SE FIZERAM ATÉ HOJE AOS OPERADORES
DE CALL CENTER.



Assistência Técnica de operadoras de telemóveis


Assistente: Qual é a marca e o modelo do seu equipamento?
Cliente: É um Inox 510.

Assistente: Qual é a marca do seu telemóvel?
Cliente: É um... É um... Brosch...
Assistente: Um Bosch 509?
Cliente: ... Um Mostorbosch...
Assistente: Um Mitsubishi?
Cliente: Isso, um Masturbischi.

Cliente: Que quer dizer isto... chamadas de emergência?
Assistente: Significa que o telemóvel da senhora não tem rede neste momento e só pode fazer chamadas de emergência.
Cliente: Ai, que alívio! Pensei que era para ligar para o Hospital. Estava aflita a pensar quem é que estaria nas emergências.


Cliente: Estou aqui com um problema no meu telemóvel...
Assistente: Qual é exactamente a situação?
Cliente: É que agora não me lembro do ping e o que é pior é que perdi o pum...

-Fiz uma chamada para outra pessoa e tiraram-me dinheiro do telemóvel. Mas então sou eu que pago?

-Olhe, queria alterar o meu tarifário para Hamburger Life.

-Olhe, queria saber se já tenho o room service activado.

-Não tenho fax, eu quero é que me envie um fax por carta.

-Olhe, só liguei para dizer que se alguém me ligar pode deixar mensagem, porque agora vou desligar o telemóvel.


Assistente: A senhora deverá ligar o número do serviço para ouvir as suas mensagens.
Cliente: Ligo para esse número e peço para falar com quem?


[indicação de teclado bloqueado e de rede disponível]
Cliente: O meu telemóvel tem um garfo e uma colher no visor...

Menina, queria que o meu número não aparecesse nos retrovisores dos outros telemóveis
Queria saber se o meu número está conferencial ou não...

Cliente: O Sr. quer que eu tire o chispe?



Reveja a parte 1, clique aqui...

sábado, 21 de março de 2009

Música da Semana: Would i lie to you?

Charles and Eddie "Would I Lie To You" (1992)


Nostalgia!
Na altura isto não parava de rodar... ouvia-se por todo o lado...
Contém um sample de um "Ohh-Yeah!" de Michael Jackson.

sexta-feira, 20 de março de 2009

Sobre as novidades para o iPhone OS 3.0

Esta semana, na Terça-feira, foi dia de keynote da Apple para apresentar o desenvolvimento que a Apple preparou para o iPhone OS 3.0.

Assim lá para Junho/Julho poderemos contar, gratuitamente, com mais habilidades no iPhone 3G (igualmente para o anterior também):
  • copy-paste (finalmente apesar de poucas vezes me ter feito falta);
  • pesquisa global por todo os conteúdos do iPhone com Spotlight, incluindo Mail, iPod, Calendário, etc;
  • possibilidade de enviar várias fotos num e-mail;
  • sincronização de anotações da aplicação Notas;
  • nova gestão de SMS (apagar uma só mensagem ou várias à escolha, agrupar por assuntos, etc)
  • MMS nativo (deixa de carecer da aplicação da Vodafone)- que permitirá enviar por MMS ficheiros de vários tipos;
  • teclado horizontal, agora presente nas diversas aplicações como, mensagens, e-mail, etc;
  • gravação de notas de voz;
  • Bluetooth melhor e mais permissivo: troca de ficheiros, dados, audio, etc. Permitirá também fazer uso desta ligação para se conectar a outros dispositivos nas proximidades e fazer trocas de ficheiros;
  • Stereo Bluetooth A2DP audio (sim finalmente stereo e não apenas mono nos auriculares bluetooth);
  • função Shake no player musical (abanando o iPhone ele mudará de faixa);
  • grande melhoria na reprodução de podcasts mas desta vez com uma aplicação especifica (permitirá desta vez selecionar com mais precisão certos momentos de um podcast);
  • live streaming de audio e video;
  • abertura para programadores desenvolverem verdadeiras aplicações GPS (com indicações de turn-by-turn real);
  • a possibilidade de usar o iPhone como modem a um computador (tethering 3G desde que a operadora o permita);
  • autênticação em acessos Wi-Fi (reconhecimento automático e login automático em spots wi-fi como os da PT wi-fi, etc);
  • notificações Push (alertas enviados pelas aplicações mesmo depois de fechadas);
  • novas habilidades e possiblidades com a AppStore;
  • novo SDK: mais ferramentas e caracteristicas para desenvolvimento de aplicações para os programadores;
  • e muitas outras mais...
Algumas imagens:

O engenhoso Copy-Paste; Spotlight por todo o lado;


Podcast player; Gravador de voz; Tethering 3G (modem)


Teclado horizontal nas aplicações; verdadeiro GPS;


Obs: Os avanços desta nova versão são bastantes e importantes mas o mais curioso é ver que muitas das novidades não são bem funções "novas" mas sim preencher o que estava em falta, especialmente no iPhone 3G desde que este saiu. Na realidade, é mais um colmatar de faltas muito solicitadas e que eram ausências bastante criticadas no iPhone quando comparado com as outras marcas.

Olhando bem para lista só fica a faltar a gravação de video... Mas há esperança!
Alguns programadores que já têm a versão de teste do iPhone OS 3.o descobriram-na por lá, onde surge um menu que pergunta se quer "publicar o video".

Humm... mas para isso é preciso filmar primeiro!

Porque será que a Apple não a anunciou?
Talvez venha já no próximo modelo que sairá em breve... mas esperemos que de alguma forma seja uma função também à disposição dos actuais modelos.

Chega ao fim Battlestar Galactica...

É hoje que vai para o ar (nos EUA) o episódio final da saga Battlestar Galactica.

É com o Ep.20 da 4ª Temporada final, episódio com 2 horas de duração que toda verdade será finalmente descoberta.
E como bem refere no Cine31, "é assim que todas as séries deviam terminar: no auge e não decadentes..."



Até adorava ver já este episódio mas ainda só não cheguei terminei de ver a 2ª temporada. Falta-me mesmo muito para chegar a este final da saga. É uma série tão boa e com uma história sempre seguida que não permite saltar logo para a última temporada.
Tenho ainda muito para ver...
Estou feito e vou-me roer durante muito tempo!

quinta-feira, 19 de março de 2009

Momento Dia do Pai #2... I am your father!

Hoje é Dia do Pai... e se há passagem ou revelação cinéfila marcante sobre este tema, é esta da saga "Star Wars":
"Luke, I am your father!"



Tam-tam-tam-tão-taram...

Momento Dia do Pai #1... revista on-line Giggle!

A edição de Março da Giggle Familia está cheia de boas razões para a desfolhar e quem sabe ganhar ideias para disfrutar em familia... e hoje é Dia do Pai!!!

Nos cinemas: The Unborn, The Spirit, Che, 100 Volta, Marley & Eu, etc

Ora aí está um filme para perturbar durante um bom bocado...

The Unborn - O Espirito do Mal

Realização: David S. Goyer
Intérpretes: Odette Yustman, Gary Oldman, Meagan Good, Carla Gugino, etc.

Sinopse
“The Unborn” conta a história de Casey Bell (Odette Yustman), uma rapariga que em toda a sua vida nutriu um ódio pela mãe, por esta a ter abandonado quando era criança. Mas quando começam a suceder diversos eventos inexplicáveis, Casey começa a entender as razões pela qual a mãe fugiu. Atormentada por pesadelos terríveis, ela decide recorrer a um conselheiro espiritual (Gary Oldman), o único que a pode ajudar a descobrir uma maldição familiar que remonta à Segunda Guerra Mundial.

Trailer:


A julgar pelo trailer, está muito interessante. É daqueles filmes que é apenas... mais um no género com alguns tiques do oriental "Ju-On". No entanto, ao ser escrito pela mesma gente envolvida em "Batman Begins" e "The Dark Knight", já faz aumentar a atenção e esperar que o enredo surja bem interessante.

Adenda: ver review em artigo dedicado clicando aqui





Outras estreias:

"The Spirit", de Frank Miller
Muito esperado por cá (é mais uma adaptação de BD)


"100 Volta", de Daniel Souza
(parece tão banal, tão mau... que tudo isso até faz dele um filme "bom" - o trailer até dá vontade de rir)
"Che - O Argentino", de Steven Soderbergh
"Marley & Eu", de David Frankel
(sim... é o filme baseado no tal livro com o mesmo nome)