segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Cassetes...

Quando era novo não existiam os processos digitais dos nossos dias de agora, que nos inundaram do comodismo do mp3, do streaming, do YouTube, etc. Para ouvir musica, ou era pela radio, pelos discos vinyl... ou então pelas cassetes. E é sobre as cassetes que evoco a memória...




As cassetes tinham a vantagem de poderem ser de fonte originale oficial (alternativa pratica ao disco vinyl) ou então permitia-nos gravar de qualquer fonte a musica que queríamos ter. Da radio (era estar atento às melhores emissões musicais e ter dedo rápido para não apanhar a voz do locutor), dos discos vinyl e melhor ainda, serviam de fonte pirata nalgumas feiras manhosas (até se podiam encomendar...).

As cassetes era algo que trazia sempre comigo, que se aproveitavam as viagens de transportes públicos (tal como nos dias de hoje) para dotar de banda-sonora essas viagens. E não havia nada melhor do que ter cassetes com as melhores músicas do momento.
Os montes de cassetes que gravei nesse tempo, só para ter boas "playlists" para o walkman, para a aparelhagem hi-fi (de tamanho midi) e mais tarde para o carro.

À custa das gravações mexia em discos vinyl, limpava-os, punha gotas de água nas trilhas para o som não ter fritados, etc... Que tempos tão bons... e laborosos.

As cassetes que mais gravava eram as Sony, TDK, as That's mas sempre de tipo 4, Metal, porque o som não se deteriorizava. Ou era de Chrome ou Metal... das Normal só se não ouvesse mais nenhuma.
O quanto eu adorava as cassetes da Sony série Walkman, que foram desenvolvidas especificamente para se usar em walkmans, tinham um curta faixa branca para que o auto-reverse fosse imediato.




No carro, havia sempre por lá escondida, uma jukebox, que era nada mais nada menos que um porta-cassetes repleto de cassetes preparadas para sonorizar as viagens de carro.

Depois veio o CD e ainda fazia o mesmo com gravações de cassetes... mas só a era iTunes é que deu cabo de tudo isso.
Do Cd-R de compilações, passei a criar playlists no iTunes para o iPod nano e actualmente no iPhone. Actualmente até já nem me dedico a fazer uma playlist sequer.
A evolução dos tempos....


Fica aqui um endereço para que os suadosistas das cassetes reencontrem as que mais usava:
http://tapedeck.org/

3 comentários:

Loot disse...

Agora que o carro da minha namorada ainda tem rádio de cassete ando a recordar esses tempos. TDK eram as eleitas e a seguir acho que as que tinha mais era Sony entre outras que referencias aí.

A cassete no fundo é chata, não tem tanta longevidade, não dá para escolher faixas (se bem que depois surgiram aparelhagens que já dava para passar à frente faixa a faixa desde que houvesse espaço).
Mas na altura era o que havia e recordo com carinho claro.

Estes dias é só saudosismo :P

ArmPauloFer disse...

Exactamente... e o que mais espécie me faz é que nos montes de cassetes que ainda tenho guardadas algures, está para lá musica que ainda não migrou para a minha discoteca no iTunes. Hip-hop old school, muita musica alternativa, pop dos anos 80, etc...
Eu gostav da fazer compilações e por vezes cheguei a fazer gravações a pedido.

Dezito (André Sousa) disse...

Olá, se és fã de cinema visita
Febre da 7ªarte

http://febre7arte.blogspot.com/

Cumprimentos cinéfilos