sábado, 25 de junho de 2011

Apple: OS X Lion... chega em Julho!

OS X Lion... disponível já em Julho!




Para não ser só a minha prosa do costume, vou até servir-me das palavras certeiras de João Sousa, um dos meus comentadores aqui deste meu pasquim (que é somente dos melhores comentadores, adianto já) e tornar isto numa espécie de guest-post sobre o novo sistema operativo da Apple, o OS X Lion (10.7):

"- ocultação de scrollbars: não sei se será uma boa solução de UI. Uma das funções das scrollbars é, precisamente, mostrar ao utilizador que há mais conteúdo do que aquele visível. Se elas só aparecem com o movimento de scroll, fico insatisfeito. A ser assim, faria mais sentido fazê-las visíveis com qualquer movimento do rato, ou simplesmente torná-las translúcidas e menos intrusivas.


- launchpad: interessante. Mas não estamos a correr o risco de complicar com UIs sobrepostas? Algo que sempre me agradou no OS X para infófobos é a obsessiva simplicidade de uso - um botão no rato, lembram-se? Agora, quase sinto necessidade de uma cábula só para acompanhar todos os multigestos.


- resume: perfeito. Com uma excepção: fechar à pressa o browser com pornografia perde a sua eficácia…


- autosave/versions: ainda bem, esta é muito a minha forma de trabalho, em particular no Photoshop. Em escrita, nem tanto, até porque tendo a rascunhar em papel.


- Airdrop: quero aguardar para ver como funciona no mundo real. Tal como nos foi apresentado, pensei se não corremos o risco de ver, quando ligados numa rede pública, o nosso Mac identificado em todos os outros - um pouco como acontece com as gentes que não sabem desligar o bluetooth do telemóvel. Tem de existir um processo de limitar à-priori o comportamento desta funcionalidade. Talvez limitá-la a determinadas redes wifi.


- Mail: soluções bastante elegantes para as buscas e o conversation-view.


- AppStore: podermos configurar o OS X para apenas permitir a instalação de aplicações via AppStore seria uma grande barragem contra malware. Também (não) me espanta o pouco destaque que tem sido dado ao sandboxing. Mas fiquei com uma dúvida: este é válido apenas para aplicações instaladas via AppStore, ou é válido para qualquer aplicação "empacotada" - característica obrigatória na loja? O que vi ou li não é conclusivo.


- Fullscreen: merece-me um texto dedicado, até por ser algo que me está próximo."

Tanta coisa tão bem referida sobre o OS X Lion... perfeito!

5 comentários:

Ricardo Vieira disse...

As scrollbars podiam ser como as do Ubuntu 11.04 (overlay scrollbar). Pouco intrusivas, mas que "aumentam" de tamanho quando o rato passa por elas...

ArmPauloFer disse...

Pode ser que um dia ainda ganhe algo semelhante, Ricardo.
Mas suspeito que desta vez, este OS X Lion, vai ser adoptado com menor aderencia... é uma suspeita minha e espero ver os resultados mais para a frente.

João Sousa disse...

Não é todos os dias que nos vemos publicados num ilustre órgão da comunicação social.

Eu confio que a função resume do Safari não se sobreponha ao "private browsing". Portanto, quando alguém quiser estar no trabalho a ver pornog... quero dizer, a ler os murais do Facebook, pode sempre fazê-lo numa janela de navegação privada. É uma pena que tão pouca gente saiba desta opção nos browsers. Podia ter-me poupado várias situações desconfortáveis.

ArmPauloFer disse...

Ora bem, eu entendo que função Resume não tem bem essa característica. Não dessa forma, mas vai lá ter o que disseste.

O que faz é manter o estado de tudo o que se tem no Mac no exacto momento para ele ser interrompido por exemplo... quer seja ao fazer updates, restart ou outras intervenções, ele vai recomeçar e abrir a sessão com tudo exactamente no mesmo estado em que estava para não perdermos tempo. As apps que estavam abertas, os documentos no exacto ponto deixado, até incluindo a página que o Safari exibia nesse exacto momento (seja lá o que for que estava em "exibição")...

O Resume do Lion, funciona integrado com o Auto-Save e Versions (obviamente). Acho que vai ser daquelas funcionalidades que só se vai dar valor muito tempo depois de estarmos habituados a ela e sem notar que nos habituamos sequer...

João Sousa, obrigado e bem mereces este destaque. Ser comentado por ti é para mim um grande prestigio. Mais uma vez obrigado!

João Sousa disse...

Não só: o Resume funciona a vários níveis. Faz o que tu disseste, mas também retoma o estado de uma aplicação para quando ela é reaberta, ao estilo do iOS. Estás a editar um texto; fechas o TextEdit; quando o reabres, continuas com o documento no ponto em que estavas.

Podes ver aqui como a Apple descreve:

http://www.apple.com/macosx/whats-new/features.html#resume