sexta-feira, 6 de abril de 2012

Tabu; American Reunion... desde 5Abr12 nas salas nacionais

Esta semana entre tantas estreias há alguns destaques a fazer: o aclamado filme português na Berlinale 2012 com o prémio da crítica, o "Tabu" que deve mesmo ser magnifico.
O regresso da saga American Pie com todo o elenco original no "American Reunion" que promete ser de grande interesse e também o filme escrito e realizado pela choca da Angelina Jolie (how i hate her!), o "In the Land of Blood and Honey".


Tabu

Realização: Miguel Gomes
Argumento: Miguel Gomes e Mariana Ricardo
Elenco: Teresa Madruga, Laura Soveral, Ana Moreira, Carloto Cotta, Isabel Cardoso, Ivo Müller e Manuel Mesquita.
Sinopse: "Três mulheres a viver num prédio antigo na cidade de Lisboa: Aurora é uma idosa temperamental e excêntrica; Santa, a empregada cabo-verdiana; e Pilar, uma vizinha dedicada. Sentindo o fim a aproximar-se, Aurora faz-lhes um pedido invulgar: quer encontrar-se com Gianluca Ventura, alguém que até àquele momento ninguém sabia existir. Assim, dispostas a cumprir o desejo da velha senhora, Santa e Pilar acabam por descobrir que os dois viveram uma história de amor e crime no passado. Uma história que começou há 50 anos em Moçambique, algum tempo antes da Guerra Colonial, e reza assim: "Aurora tinha uma fazenda em África no sopé do monte Tabu...". Realizado por Miguel Gomes ("Aquele Querido Mês de Agosto"), o filme, em competição na Berlinale de 2012, foi aplaudido pelo público e pela crítica, acabando por receber o prémio da crítica, atribuído pela Fipresci. Filmado a preto e branco (na primeira parte do filme), é uma co-produção de Portugal, Alemanha, Brasil e França"
Trailer:




American Reunion / American Pie: O Reencontro

Realização: Jon Hurwitz e Hayden Schlossberg
Elenco: Jason Biggs, Alyson Hannigan, Seann William Scott, Chris Klein, Thomas Ian Nicholas, Tara Reid e Mena Suvari...
Sinopse: "Lembram-se da primeira vez? Eles ainda andavam no liceu e desesperavam por perder a virgindade. E, entre aventuras com tartes e flautas, lá foram desvendando os prazeres sexuais. No ano seguinte, separaram-se e foram para a universidade, com reencontro marcado para as férias de Verão numa belíssima casa na praia onde aconteceram mais umas bizarrias com Kama Sutra e sexo tântrico à mistura. E agora que chegaram à idade adulta? Será que, dez anos depois, estão preparados para o grande encontro de ex-alunos de liceu? Agora vão perceber que, se uns mudaram totalmente as suas vidas, outros nem por isso: Jim e Michelle (Jason Biggs e Alyson Hannigan) casaram-se e têm um filho; Kevin e Vicky (Thomas Ian Nicholson e Tara Reid) separaram-se, Oz e Heather (Chris Klein e Mena Suvari) são hoje dois desconhecidos e finalmente Stifler (Seann William Scott), que, para o bem e para o mal, continua exactamente igual a si próprio. Realizado por Jon Hurwitz e Hayden Schlossberg, é o quarto filme da saga "American Pie", a comédia que, em 1999, revolucionou o género e se tornou num estrondoso êxito de bilheteira."

Trailer:

Eheheheh!!!



Outras estreias:

In the Land of Blood and Honey - Na Terra de Sangue e Mel
(escrito e realizado por Angelina Jolie)
+
Attack the Block - Ets in Da Bairro
+
Titanic (3D)





Fonte: informações e sinopses via Split Screen

2 comentários:

João Sousa disse...

Titanic: foi um tormento vê-lo no cinema (as coisas que se fazem quando temos namorada), a 3D seria uma nova dimensão de tortura.

--

É agradável encontrar, mesmo que ocasionalmente, alguém que parece partilhar do meu relativo desinteresse pela sra. Jolie. Não nego os seus méritos artísticos, mas toda aquela aura construída de "nobreza hollywoodesca" irrita-me profundamente.

--

American Pie é um caso que merece ser estudado. Eu não vi nenhum por completo, apenas pedaços que fui apanhando ao acaso na TV (felizmente, um deles foi o notável episódio da cerveja). Mas tendo tudo o que se pode esperar de foleiro típico nestas comédias de adolescentes subjugados pelas hormonas, e mesmo ultrapassando os limites razoáveis do mau-gosto, não me consigo impedir de sentir alguma simpatia pelos filmes (e personagens).

Nas comédias equivalentes dos anos 80 (Porkys vem-me imediatamente à cabeça), os personagens não passavam de meros onanistas com atracção pela anarquia e sem qualquer qualidade que os redimisse. No American Pie, por muito desvairados que sejam, por mais poses de macho-alfa que tentem assumir, não deixam de dar a ideia de, no fundo, serem apenas uns putos assustados por não saberem muito bem o que fazer com as mãos (entre outras coisas). E o Stifmeister, esse, é um achado.

--

Ainda em relação ao American Pie: um projecto que eu acharia extremamente interessante, do ponto de vista artístico, era que se tivesse feito esta reunião em tom mais sério, de jovens adultos desiludidos com aquilo em que o seu mundo se tornou. Uma espécie de "Amigos de Alex" desta geração. Mas decerto uma ideia destas seria demasiado ousada para a Hollywood de agora, que prefere jogar pelo seguro e aborrecido.

Alguém consegue imaginar um Stifler amargo?

ArmPauloFer disse...

Os dois filmes que mais gostaria de ver esta semana são mesmo os dois destaques com trailer. O resto são filmes...

O American Reunion, tenta recuperar a franchise (imagino que vai haver sequelas desta reunião), mas o mais interessante aqui é o ponto de partida reflectir a mudança para a vida adulta. Já não são os jovens que viviam para gozar o dia-a-dia... estes agora têm uma vida (ou não) e estatutos. Não sei que direcção seguiram mas havia (e há) aqui potencial para uma nova e interessante franchise, com comédia sim mas a satirizar a vida adulta. Vamos ver no que dá... quando sair o dvdrip... oops!

Ela fabricou-se totalmente de forma calculada, construindo uma carreira para a percepção do exterior...
O problema da Angelina Jolie é que se faz passar pela ultimate diva num pedestal inalcansável.

A perfeita e exemplar em todos os sentidos: como sendo grande actriz e poderosa; tem como marido (roubou-o!) o actor considerado mais sexy, popular e com estatuto; tudo o que ela faz é julga ser de relevo, desde as boas acções humanitárias da ONU à protecção pelas crianças... etc, etc, etc... e ainda tem aquele odioso ar esquelético (talvez a maior razão para ter detestado gradualmente) que em filmes como o Salt ou Wanted, desafiam a lógica ao ter tanta força para pancadarias quando parece que ela nem tem força para se segurar de pé. Esteve bem até ao "Mr & Ms Smith"... mas depois... deixei de atinar com a actriz.
Já nem a posso ver!

Mas podes crer: o Stifler foi mesmo uma grande invenção de personagem. Mesmo assim o que mais aprecio da saga são as situações...
Da "saga" American Pie, vi todos (mesmo aquelas manhosas sequelas spin-off também).