quarta-feira, 2 de Março de 2011

MyJukebox: Steve Spacek "Space Shift" (2005)

De entre os muitos artistas e sonoridades que ouço com muito agrado, um dos géneros que sempre prestei atenção foi ao uso da electrónica para renovar e voltar a apresentar em jeito contemporaneo, géneros musicais que parecem ser gradualmente mais remetidos para um qualquer cantinho longe da popularidade que em tempos tinham. Se o jazz  como género musical sempre se soube reinventar das mais diferentes maneiras, a soul não parece assim tão forte. Na verdade a soul vai se aguentando mas é com esta mania de tornar a soul em musica pop porque os artistas (normalmente cantoras) apresentam-se com um vozeirão que não se enquadra bem na pop mais comum.

O artista que deste vez aqui trago é o Steve Spacek, já na sua faceta a solo. Aqui há uns anos teve a sua banda de música electrónica, os "Spacek", que cruzavam a soul, o trip-hop, o downtempo com brilhantismo. O tipo decidiu avançar a solo e isso aconteceu em 2005 com o seu seu álbum de estreia.

Steve Spacek
"Space Shift" (2005)


"Dollar"
É para mim a melhor do álbum. Tem um magnifico mantra gerado por uma pequeno loop (proveniente duma malha hip-hop de J Dilla) mas o mais pertinente é a premissa da canção com o sample "Let The dollar circulate!"
Esta canção é brilhante, inspirada, criativa e plena de soul.
Magnifica!



"Thursday"
Esta é segunda grande faixa do álbum, e no alinhamento surge logo depois da marcante "Dollar".
Uma grande canção a transbordar soul e um certo travo funk potenciado pela batida gorda (que encerra em si mesmo o inebriante groove da canção).
Esplendida!



E ainda as algo mais intimistas mas viciantes (o groove que sobressai destas malhas electrónicas são incansáveis):

"Smoke"
Uma linha de baixo poderosa e que acentua as tonalidades da canção.
Não dá para deixar de repetir "How do i get to... How do i get to know you better?".
De génio!



"Days Of My Life"
O uso de palmas como batida... de génio. Até se poderia considerar um bom exemplo de dubstep mas empregnado de soul.



Depois desta estreia a solo passou a aventurar-se mais em colaborações e projectos manhosos. Sempre esperei um novo regresso dele aos álbuns e isso tem tardado acontecer. Mas um coisa é inegável: Steve Spacek, transpira soul em tudo o que cria (ou se mete).
Lembra-me imenso nomes como Isaac Hayes ou Marvin Gaye... com as devidas distâncias, é claro.

"Let The dollar circulate!"

Sem comentários: