domingo, 1 de janeiro de 2012

Chegamos a 2012!!! Agora é que vai ser ou...

Já chegamos a 2012!!!
É 2012 agora!!!
Yupii!!!


Chegados a 2012, a satisfação é a de que além da crise económica financeira (mundial ou não), da austeridade nacional e cenas assim desse calibre... o que sobra é que isto até nem vai ser o pior, pois em 2012, depois de Hollywood nos ter dado a gentileza de um vislumbre do futuro (um vislumbre em forma de filme chamado "2012" de cerca de duas horas é certo) espera-nos então ainda tudo isto para enfrentarmos... em live-act e sem pagar bilhete. Hell yeah!!!

Isto ainda é melhor que as cartas da Maya! (ou talvez não...)


Vai daí que talvez até nem seja bem assim mas isso agora é um pormenor que nem interessa nada. Também... tendo a Amanda Peet, John Cuzak e o grande Woody Harrelson, o que pode correr mal?
Nada!
É para enfrentarmos 2012, mesmo na boa...

2 comentários:

João Sousa disse...

O que pode correr mal? Infelizmente, dado o historial recente de filmes-catástrofe, muita coisa...

Mas mais vale falares neste filme do que no repugnante "Ano Novo, Vida Nova". Quando vi o cartaz aí pelas ruas, recordei-me de que, na década de 70, quando se iniciou a moda dos filmes-catástrofe, estes costumavam ter um elenco recheado de estrelas. Ora se nessa altura um elenco com muitas estrelas era sinal de filme-catástrofe, hoje um elenco com muitas estrelas parece pressagiar uma catástrofe de filme.

ArmPauloFer disse...

Eheheheh...

O "2012" até o achei porreirito e não é para levar a sério. Entretém enquanto dura com muita espectacularidade visual. É um filme. O título do filme é que achei caricato para assinalar o inicio do ano que também parece que vai ser catastrófico a nível económico. Esperemos que não.

Admito que tenho curiosidade por esse "Ano Novo, Vida Nova"... sei bem ao que vou mas quero ver.