terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Spawn... outra vez?

Todd MacFarlane, o criador-desenhador quer voltar a ver a sua personagem "Spawn" no grande ecrã, que recentemente lançou a edição #200 da banda-desenhada.


Para mim, a ideia de um regresso de Spawn aos filmes, numa era em que as adaptações surgem com níveis muito melhores do que a versão prematura que teve em 1997, é uma ideia entusiasmante.
Gostava imenso de também ver regressar o Spawn aos filmes (que até aprecio o filme que foi feito e ainda muito mais a banda-sonora, que rendeu um poderoso álbum de metal vs electronica).

Tem sido tão assediado por diversos produtores a novamente permitir adaptar a sua personagem (afinal, são tantas as adaptações de super-heróis nos últimos anos que não é de admirar), que ele até já pensou em ideias e conceitos na nova abordagem que pretende dar desta vez.
Contudo, as ideias que McFarlane apresentou são tão radicais e acho mesmo que erradas.

Ele diz que (via io9):
"The story that I pitch is very tight, very contained, but done right. I want a movie that gets people's hearts racing. I want to scare them. Spawn, done right, is a creepy character.
Instead of a superhero who just stands there… The idea I pitch is that the movie shouldn't be about superheroes and laser beams - it's about the id of people and the group of people caught up in the story and seeing things out of the corner of their eye. And when I give the pitch, I also say that I will write and direct it.
There's the nonnegotiable pieces of it. Then I have four suitors who say, "Yeah, cool, when do we start?" It means we're not looking for a $20-million actor and we're not looking for a big-budget extravaganza with lots of special effects."
Saber mais no HeroComplex...

Não me cheira bem este tipo de abordagem. A Marvel fez um filme assim parecido, com o Monstro de Pântano, que o colocou como um monstro numa espécie de filme de terror de baixo orçamento... e foi um desastre autêntico.


Spawn é uma super-personagem que necessita de uma execução visual em tudo semelhante ao que se viu no "Avatar" de James Cameron. Um Spawn que bem podia ser todo digital mas com o mesmo sistema da captura de performance de movimentos... e bastante CGI (só para a capa viva e as ferramentas que lhe saem do corpo... bem precisaria). Mas para isso requereria um grande orçamento e um argumento mais potente... e não ideias loucas.

2 comentários:

Loot disse...

Humm. um regresso ao cinema também me entusiasma, mas não dessa forma. Até porque o Macfarlane já realizou filmes?

ArmPauloFer disse...

Não realizou nada. Ele é sim sempre produtor, consultor, argumentista, etc... Até a linha de brinquedos ele tratou!

O Spawn precisa de ser tratado muito seriamente e não é com estas tolices de terror...