terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Cine-critica: Perfect Sense [2011]

Perfect Sense
Sentidos do Amor
[2011]

Realização: David Mackenzie
Com: Ewan McGregor, Eva Green, Connie Nielsen, Ewen Bremner,

Sinopse: "Susan é uma cientista em busca de respostas a perguntas importantes. Tão importantes que renunciou a outras cosas, incluindo o amor – até que conhece Michael, um talentoso chefe de cozinha. De repente, tudo começa a mudar. Enquanto Susan e Michael estão experimentando o amor, em todo o mundo as pessoas estão começando a se sentirem estranhas – algo está afetando suas emoções e o mundo começa a desmoronar…"



Ora bem...
não achei nada de especial na verdade.

Uma certa desilusão pois esperava mais deste drama que passou pelo Festival de Sundance em 2011 (na secção oficial). É um drama indie um pouco estranho demais pois junta dois géneros na mesma proposta. Temos aqui um romance e também um filme catástrofe, num simultâneo que mais parece não colar muito bem e que se agrava por não dar uma verdadeira resposta final mas apenas potenciar que o amor imperará seja que situação for.


Não posso dizer que é mau (bem longe disso), apesar de passar uma diferente abordagem ao amor, isto enquanto um virus vai dizimando os 5 sentidos dos humanos mundialmente. Primeiro o olfacto, depois o paladar, o toque, etc... A forma como encadeiam narrativamente, o progresso do surto deste virús, que ninguém percebe (nem a origem e nem a forma como se desenvolve) com os sintomas do avanço da relação amorosa deste casal é muito interessante. Na verdade, o argumento parte de um conceito logo á partida cliché: ela cientista-investigadora de doenças e ele um chef de cozinha, reflectindo na vida destes dois o que também se passa no mundo.

Os clichés dão-se, a um nível ténue mesmo assim, por o argumento também fazer reflectir o progresso da doença mundial, na forma como se encara a comida (paladar, cheiros, etc) e o que esta sofre (na vertente restaurante - o protagonista não é por acaso um chef de cozinha) a partir do momento em que as próprias pessoas não têm os sentidos capazes para a degustação. Neste caso especifico, gostei ainda de ver o realizador permitir-se a dar mais um pouco de tempo em mostrar quais seriam os passos seguintes da restauração perante uma situação de caos. Dar às pessoas sensações substitutas com outros estímulos sensitivos.

Caos em contraste com amor, balanço entre romance e decadência da humanidade - as cenas sobre o mundo mais parecem saídas do National Geographic Channel, num efeito visual nem sempre bem equilibrado (há quem possa criticar mas o Terrence Malick soube dar uso eficaz a esta técnica no "Tree Of Life" enquanto este realizador nem por isso).
Os dois actores principais cumprem mas em termos de romance parecem mais "bonecos" que um verdadeiro par romântico. Contém nudez... É um filme que, no fundo, mostra o atingir de um estado de perfeição dos sentidos... sem existirem já. Não deixa de ser um filme singular pela forma como se apresenta e desenvolve, apesar de também se tornar num drama aborrecido e no fim não me ter sentido convidado a rever novamente.


Classificação:
Interessante
6/10

3 comentários:

Ricardo JM Vieira disse...

Eh pá, a Eva Green aparece nua? Se sim, must download this! :)

ArmPauloFer disse...

Sim, aparece... e ambos até!
Não fiquei muito amigo do filme e esperava mais até. Mesmo assim é uma abordagem interessante que esta proposta indie nos dá.

Os Filmes de Frederico Daniel disse...

O filme é bom, mas tem cenas aborrecidas e algumas falhas. 3*
O que gostei mais foi da mensagem e da dupla de protagonistas, nada por aí além...