terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Cine-critica: Underworld: Awakening [2012]

Underworld: Awakening
[2012]


Realização: (os suecos) Måns Mårlind, Björn Stein
Com: Kate Beckinsale, Stephen Rea, Michael Ealy, Theo James, India Eisley, Sandrine Holt, Charles Dance, Kris Holden-Ried, Jacob Blair...

Sinopse: "Após conseguir escapar de um cativeiro de 12 anos, a vampira Selene (Kate Beckinsale) depara-se com uma realidade inesperada: descobertos pelos humanos, os clãs de vampiros e lobisomens são perseguidos e caçados como animais selvagens. Agora, para salvar ambas as espécies do extermínio total, Selena vai ter de fazê-los compreender que a sua hipótese de salvação reside na superação das suas diferenças e na união de todos contra o mesmo inimigo. Conseguindo-o, poderão vencer a maior batalha das suas existências..."

Trailer:


Ora bem...



Em plena época de muitas sagas de vampiros, "Underworld" nunca deixou muitas marcas no género. Logo agora que tem menos relevância, esta nova incursão de "Underworld: Awakening" finalmente sabe perfeitamente o que quer ser: um produto de acção série B.

"I was with him one day, and when I awoke it was 12 years later."

Uma vez que esta é uma saga já pouco ou nada relevante em termos de vampiros/lobisomens, que desde o primeiro o que mais sobressaía era a acção, o visual Matrix e a incontornável Kate "vistosa" Beckinsale... agora... nada melhor do que assumir que em termos mitológicos já cansava e já se auto-rebuscava em loop (depois do anterior terceiro capítulo, uma prequela "who cares?" que levou a saga a bater no fundo - mesmo que tendo dados de interesse e elenco interessante), acho que agora sim: acertaram!


For 12 years, I was held captive by the humans. The world I once knew has changed.
Vampires and Lycans are now the hunted. This is a new war and it's only beginning.

Faz isso com humildade ao não pretender ser mais do que é, rigorosamente quer ser somente serie B (ou menos) e dá tudo por tudo como filme de acção non-stop com style, não insistindo mais na carga mitológica e fazendo sobressair o que de melhor tem a saga (além da Kate apelativamente vistosa no visual de Selene) que é a guerra entre vampiros vs licantropos e o estiloso visual.


Cumpre plenamente em tudo o que se propôs e com os seus meros 85min é entretenimento puro e rápido. Deste lado, adorou-se tudo! E vai ser filme para rever e rever mais vezes... e que venham mais assim.
Kate "awesome" Backinsale volta como Selene, pá!

Ahhh... a canção (em versão remix) dos Evanescence que surge no fim, é um must!

My heart is not cold. It's broken.





Classificação:
6,5/10
(Entre "Interessante" e "Bom")

3 comentários:

Nuno Pereira disse...

Entretenimento puro sim, sem contar com o primeiro este foi o melhor.

Anónimo disse...

Que sono! Olha o Kris Holden-Ried faz de... lobisomem... que... su... pre... sa...

ArmPauloFer disse...

@ Nuno Pereira: Podes crer e o quanto concordo contigo. Continuo a achar que o 1º foi o melhor de todos, por saber gerir tanta coisa (acção, mitologia, estabelecer a saga, etc).
Este 4º Underworld, não quer ser mais do que é e é nisso que sobressai o valor do filme: é humilde!

@ Anónimo: Não conhecia o actor e se já vi algo onde ele entrou não deixou marcas... who cares?