sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Cine-critica: Drive Angry [2011]

Drive Angry
- Destino Infernal -
[2011]


Realizador: Patrick Lussier
Com: Nicolas Cage, William Fichtner, Amber Heard, Billy Burke, Simona Williams, Katy Mixon




Ora bem...

Este "Drive Angry" é uma tentativa de ser um filme grindhouse, até consegue-o ser em diversos momentos mas no geral é patetice seguida de mais patetice, mas salva-se por ser em modo fun. É uma produção típica de série B e não o esconde em momento algum. Acrescentemos a tudo isto a presença de uma entidade sobrenatural, personificado pelo actor William Fichtner, que é mais um que também persegue o "artista" e a "mocinha" do filme e... temos uma sessão esgrouviada em regime non-stop.

Quem achar que vai ter uma dose de condução louca e furiosa vai ficar desapontado pois pouco tem de "condução furiosa" (devia ter mais). Mesmo assim é um entretenimento curioso e que até me fez rir pelo desfile de momentos mesmo castiços. Escapa...

Obs.: Eu gostei foi da louca cena escaldante do Cage com uma sopeira no quarto e em plena invasão dos "bandidos"... mas que cena de loucos!

- Ao menos diz-me que tiraste a carta de condução.
- A carta? A familia nunca me escreveu...

A Amber Heard e William Fichtner destacam-se mas é Nicholas Cage quem tem a seu cargo o filme e com pleno direito a dizer aquelas quotes de uma só linha que rematam as situações na maior.
Entretém sem ser nada demais... mediano mas fixe!

Classificação:
5/10

4 comentários:

Nuno Pereira disse...

O Cage é um mestre a escolher filmes, este é mais um daqueles péssimos em que nem a "gaja boa" consegue tapar tanta maluqueira e tanta falta de qualidade.

Felizmente não é tão mau como aquele em que ele é um Feiticeiro juntamente com a boneca italiana :)

ArmPauloFer disse...

Podes crer!
Isto é série B daquelas fatelas como se fazia nos anos 80 mas com ares de coisa bem polida (sem o ser).
Eu gostei porque me divertiu enquanto jantava num Sábado á noite... a vantagem do cinema em casa em versão Rip. Dá para um tipo se distrair e até beber mais geladinha e tal... fez-me rir.
Tem clichés por todo o lado mas ao menos tem o que mais gosto que é uma grande explosão e o artista de costas e a andar como se nada fosse... mesmo á homem! (No trailer acho que se vê isso até).

João Sousa disse...

Amber Heard: uma bissexual gira que é doidinha por muscle-cars e conduz um Ford Mustang de 68. Se isto não é a perfeição, não sei o que o será.

ArmPauloFer disse...

João Sousa: Não sabia disso... realmente é muito curioso essas observações e assenta bem no papel que ela faz neste filme, que escapa sem ser nada de especial a gaja (mas é vistosa sim).