quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Apple evento especial 27 Jan... e se realmente sair o tablet?

O que o mundo mais espera ver a Apple revelar no evento de hoje é o tão badalado tablet.


Será que realmente vai ser assim tão revolucionário e mudar assim tanto o panorama informático?
Já mais empresas lançaram tablets ou aparelhos semelhantes ao que se está a pedir á Apple.

O iTablet ou lá como se virá a chamar, terá de fazer algumas coisas mais que não simplesmente ser um veiculo interactivo para as publicações da imprensa (rever aqui exemplo do conceito).
Uma outra via de interesse será o funcionamento, até óbvio, como um e-book reader. No fundo, permitir apreciar obras literárias, incluindo as coloridas (os kindles não exibem cores), e aliar possibilidades interactivas como uma espécie de extras informativos sobre a obra em questão (um pouco á laia dos filmes em DVD) só que a surgirem no imediato pela internet tais como o preview de obras anteriores, videos de entrevistas... até os filmes que possa ter originado para rever (comprando, é claro!).

Se ele conseguir colocar em questão os novos usos que se dão aos computadores, principalmente para a vertente multimedia ou para a consulta/actualização de dados (e-mail, redes sociais, etc) pode ser que passe de gadget interessante a gadget irrecusável a fomentar novos usos.

O ponto que poderá vir a suceder, se for o que se espera, é o de dar um novo rumo ao género dos netbooks/smart-books. No fundo se o próprio iPhone tem capacidades que por vezes são até mais convenientes que um netbook (afinal se ele é também um telefone, está sem pre presente com o utilizador), poderá muito bem surgir como uma diferente proposta para este segmento, ainda mais tentadora.


No campo musical e de video, poderia este tablet da Apple ser o veiculo perfeito para algumas das mais recentes "invenções" da Apple (bem mais adequado que no próprio iTunes no computador e igualmente interessante como a Apple TV):
o iTunes LP... faria pleno sentido "abrir" um álbum musical (quando adquirido inteiro) e ele ter uma interface com elementos adicionais para que a experiência de ouvir musica seja ainda maior e mais marcante;

... e no campo dos filmes ter presente a funcionalidade iTunes Extra, permitindo que certos filmes (ou todos) passem a contar com mais conteúdos extra para além da exibição do filme.

Sinceramente, até adorava que o tablet conseguisse exibir conteúdos em HD e com uma saída de video até fazer a vez de um AppleTV quando ligado a uma TV (os conteúdos multimedia poderiam ser os que teria no interior e conectar-se na rede caseira exibindo os restantes conteúdos do Mac/PC);


Obviamente, que a pensar nas possibilidades actualmente existentes no iPhone, teríamos a mesma realidade de jogos e as mais diversas aplicações para dar novos sentidos ao tablet.

Só me questiono se realmente seria útil ele fazer a vez de um portátil (o teclado surgiria no visor tal como faz o iPhone) e o rato... não seria necessário por ser multi-toque. Mas será que valeria a pena estar a trabalhar em condições assim. E comercialmente iria canabalizar as vendas de um dos segmentos mais lucrativos da Apple, os MacBooks. O melhor será o tablet continuar a ser uma espécie de extensão do Mac (ou PC) tal como em inúmeros capítulos o iPhone/iPod touch o fazem. O tablet ser um produto móvel complementar e não um pleno substituto.

Mas tudo isto sou eu aqui a sonhar cenários bem possíveis... não sei se por muito tempo ou não (faltam apenas poucas horas para o evento) mas a verdade é que a Apple encontra-se numa posição em que terá de realmente apresentar algo... quase mágico. Parece-me me uma tarefa impossível... mas é por ser tão árdua tarefa que as atenções globais se viraram para aquela que será a resposta da Apple.

O mundo depois do iPhone, quer outro Messias... um Jesus-tablet!

É a partir deste ponto que me vem a maior dúvida e preocupação.
É que se for um muito bom como tablet mas que as pessoas passem bem sem ele e de uso questionável, portanto de uso muito secundário... pode muito bem ser uma grande invenção mas falhar comercialmente. E todos nós sabemos bem o que sucede quando um produto não vende...

É isso que me tem preocupado realmente sobre esta euforia sobre tablet Apple. Que a Apple apresente hoje um produto que o mundo ainda não esteja sequer preparado para o ter até... e só daqui a alguns tempos se olhar para ele num museu dos produtos na reforma antecipada e se dizer:
"A Apple esteve muito á frente antes do tempo. Outra vez!"

2 comentários:

Hélder Medeiros disse...

Ora, nem mais...

ArmPauloFerreira disse...

Obrigado!

Nesta altura em que já saiu o iPad, não deixa de ser curioso o artigo. Até porque não falhou muito do que o produto se propõe fazer... na realidade, eu propunha ainda mais habiliadades as quais penso que a Apple facilmente as conseguiria lá colocar (adorava ver lá o iTunes LP e o iTunes Extra, pois fariam pleno sentido).