quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Filmes de super-herois influentes...

Os mais influentes filmes do género super-heróis

Este artigo é a minha visão pessoal desta vertente cinéfila, pois eu costumo até achar que os filmes baseados em super-heróis BD têm dois grandes momentos de elevação.


1º- "Superman - the movie" (1978), datado mas continua um dos melhores filmes de sempre no género. Aquele que nos fez acreditar que um homem poderia voar.

Nos dias de hoje, não deixo de ver nele tudo aquilo que compõem as ideias visuais e argumentativas nos filmes de super-heróis. Alguém que é muito poderoso, com super-habilidades que as usa em prol dos indefesos, cujas ameaças em seu redor conduzem a ter de fazer de tudo para salvar o mundo.
Usou com habilidade o conceito da dupla identidade, onde tem uma ocupação/emprego normal e a eterna aplicação do interesse amoroso sempre presente (ou em apuros).
Visualmente, usou efeitos especiais avançados para o consumo normal do seu tempo para nos dar a fé e escapismo de que a fantasia é real. Tons vistosos (nas roupas, trajes, etc), na maioria das cenas a acção acontece durante o dia e serve-se de uma ou outra personagem cómica para aliviar e entreter. Teve uma sequela ainda melhor (o que custa é fazer o primeiro) mas outras tantas vergonhosas que nada abonaram ao Super-homem (excepto, o Superm Returns - cuja cronologia renuncia a existência de Superman 3 e 4)

Este filme é o "avô" dos bons filmes baseados em BD pois deu uma abordagem séria e com ideias de cinema.
Um clássico absoluto!
Não será à toa que nos tempos mais modernos, filmes como os do Spider-man, Quarteto Fantástico, Hulk, têm alguma ligação ás premissas evidenciadas neste.



2º- "Batman" (1989) de Tim Burton, realizador de estilo e visão única, que com o seu espirito fervilhante e criativo, ergueu um ambiente gótico, soturno e cláustrofóbico, aliado a um novo estilo de "vestir", em que a pele ou cabedal é o material escolhido mas nunca o mais óbvio para este tipo de personagens (é mais resistente que os colants mas na prática limitaria os movimentos) mas que cinematográficamente ficou como "o standard".

Na altura foi um filme único e distinto de tudo o que se conhecia deste género. Não só revitalizou o interesse no género, dando-lhe credibilidade (que os filmes da BD não tinham) como mostrou que poderiam ser abordados de maneiras diferentes que as ideias cómicas e exageradamente heróicas que existiam até então. Burton "inaugurou" a abordagem em tom negro a estas personagens mas mais importante também foi a importância dada à psicologia destas personagens. No fundo, o que Burton nos deu (principalmente na sequela) foi uma nova dualidade, de que todos nós poderemos ter facilmente um lado negro, sendo que o importante é a resposta a dar perante as adversidades que a vida conduziu cada um. Nos dois Batman de Tim Burton, todos foram injustiçados, deu ainda o primeiro vislumbre de que o heroi e o vilão podem até ser parecidos, terem razões semelhantes, que há sempre esperança dentro de cada um, apesar de todos perseguirem algum objectivo intimo e pessoal para obterem a sua redenção.

Este considero-o já como o "pai" dos filmes com super-heróis. Nada mais foi o mesmo depois dele.
Basta constatar, porr tudo o que saiu depois deste Batman em 1989: Blade, Spawn, X-Men, DareDevil, etc... e muitos mais filmes de acção provenientes da BD.

Por fim, um outro grande detalhe, que não deve ser ignorado: este super-herói é uma pessoa comum, sem super-poderes, mas cujas habilidades, arsenal e objectivos o fazem figurar acima dos comuns mortais. Não é á toa, que muitos anos depois, o "Iron man" teve um bom desempenho (apesar de a abordagem ser algo oposta e sem o dark side, continua a ser simplesmente uma pessoa comum com alta-tecnologia ao seu serviço).


Depois destas duas fases surgiria uma outra terceira influência indirecta, e muito modificadora da forma de encarar estes filmes:

"The Matrix", o improvável e um não-BD.
Neste estilo, é o filme mais bem feito de sempre com um universo em sintonia com o dos super-heróis mas sem na verdade ter origem numa BD (esteve inicialmente para ser uma BD mas acabou por ser o storyboard do filme) 

O Matrix, além de ter dado muito foco no conceito do "the one", o tal ou o salvador, fê-lo com o mesmo desenvolvimento dos super-heróis, com o seguimento do path-of-the-hero (a jornada do héroi) e duma maneira tão poderosamente visual, com um argumento tão intrincado e filosófico, que obviamente, muitas das novas produções que se seguiriam teriam de ter algum deste appeal.
Um dos factos novos, é a aplicação de vestimentas com longos casacos, sobretudos ou gabardines, que simulam o aspecto da capa dos super-heróis. As lutas em artes-marciais, acrobacias, os slow-motions, a rotação a 360º, o uso do CGI, ajudaram a colocar em cena os imensos detalhes que só na BD existem e são notórios (por várias sequências de desenhos). Maravilhou o mundo e na minha opinião tem todo o mérito em figurar neste artigo porque é uma influência moderna e real.


Depois destes todos só nasceram "filhinhos"... aos quais se foram adicionando outras componentes desviantes. É o caso dos Batman de Christopher Nolan, onde o realizador abordou-os com uma nova hiper-realidade, onde as personagens são fruto de motivações que os eventos da vida lhes desviaram de terem vidas normais, confrontando medos e onde os actos provocam outros actos mais fortes.
Numa outra vertente, vimos os mutantes dos X-Men (de Bryan Singer) serem abordados mais como freaks e com dilemas, do que gente super.

A verdade, é que de filmes ignorados e sem potencial, passaram os super-heróis a ser anualmente dos filmes de maior entretenimento e alcançando o estatuto de puros blockbusters.

Na actualidade, a Marvel e DC Comics têm na bagagem novas concretizações, que são as equipas de muitos super-heróis juntos. Mas acredito que o futuro, será levar personagens BD a abordagens mais brutais e a empregarem mais fortemente os conceitos dúbios da personalidade distorcida dos super-heróis (os quase vilões). O "The Dark Knight" já colocou para futuros avanços os níveis nesse aspecto, pelo que nos falta ver o que esse futuro nos reserva. E recentemente já se vislumbraram desvios interessantes como os manifestados no "Kick-Ass" por exemplo.
Venham eles todos!


Este artigo é um spin-off de um outro já publicado neste espaço.

5 comentários:

djamb disse...

Não há dúvida que o Batman de Tim Burton é único. Os ambientes lúgubres, as personagens doentias e o humor escondido ficaram-se pelos dois primeiros filmes da saga. Ao fim e ao cabo, pertencem ao imaginário de Burton (com particularidades que poderemos encontrar noutros trabalhos seus).
Até breve!

Nekas disse...

Um bom texto. Penso que o Super-Homem foi o que mais influenciou mas sem dúvida que Batman e Matrix tiveram o seu poder a par de Stargate e Star Trek que muito influenciou o mundo sci-fi e de adaptações BD.

Abraço
Cinema as my World

Bruno Duarte disse...

Superman é mesmo o filme de super-heróis.

Abraço e continua com artigos de super-heróis que esmiúças bem isso.

http://vidadosmeusfilmes.blogspot.com/

Nasp disse...

Super-Homen sim.... esse é mesmo um grande clássico, e dos bons!

Não posso é concordar com o Batman do Burton... alias nunca vi nada de positivo nesse filme.

Sempre achei que o Burton é um cineastra muito particular, que faz filmes ao seu gosto muito próprio. E no Batman devia ter deixado isso de lado e aproximar o filme da BD ainda mais.

Mas isto também é uma opinião minha, eu que desconhecia e "detestava" o Batman até ao ano de 2005 (embora antes tenha visto animação, filmes dos anos 60 e Batmans do Burton!!!)

ArmPauloFerreira disse...

Ainda bem que todos apreciaram o artigo. No fundo expandi algo que já havia feito há bastante tempo mas que desta vez completei mais um pouco.
Obrigado a todos!