segunda-feira, 5 de maio de 2008

Cinema portugues: Contrato


O cinema português de longe a longe sai-se com uns filmezitos para o povo e passam a merecer destaque. Depois do filme "Corrupção", ao qual dei aqui destaque neste blog, eis que surge agora "Contrato", que tal como diz o "Deuxieme" (a fonte deste artigo), este nosso Hitman à portuguesa "é um filme de Nicolau Breyner, conhecido actor que se estreia na realização, para além de acumular ainda funções de interpretação. Este filme conta-nos a história de um assassino profissional (Pedro Lima) envolvido em negócios obscuros com a máfia intenacional. A juntar ao resto do elenco temos nomes bem sonantes como Sofia Aparício, José Wallenstein, Vítor Norte, Pedro Granger, José Raposo e Cláudia Vieira..."

Não podemos negar aqui um certo estilo de cinema mainstream, aquele que capta mais público e que ajuda a trazer a saúde ao nosso cinema elitista em demasia. Quando se faz um filme nos padrões mais americanos o povo português vai ver o filme. Claramente se percebe que, afinal não há uma rotura com o cinema de Portugal mas sim com os tipos de filmes que os portugueses fazem. Se o filme for feito com espectáculo e apelar às massas (principalmente à juventude "pipoqueira"), passa logo para a lista dos filmes interessantes a ver. E este parece ser muito interessante.
Se a cada seis meses pelo menos aparecesse um filme assim, juntamente com comédias de categoria, se calhar já se poderia falar de cinema português.
Ahh... e a Claudia Vieira parece querer ameaçar o trono a Soraia Chaves. Se ela continuar assim a entregar-se (com muito) corpo e (alguma) alma... temos filmes!

Trailer:


Sinopse (blogue sobre o fime Contrato):
Peter McShade (Pedro Lima) é um hitman.
No decorrer de um contrato para assassinar um homem em Marrocos, as coisas correm mal e Peter acaba por matar o sobrinho (Pedro Granger) de um chefe da máfia nova iorquina.
Algum tempo depois, Peter está em Lisboa com outro contrato: matar Georgios Thanatos (Nicolau Breyner), um chefe da máfia que controla toda a península ibérica.

O contrato não se revela fácil.
Embora Peter se movimente bem em Lisboa, devido ao facto de ser português, o acesso a Georgios Thanatos revela-se bastante difícil.
Para complicar as coisas, Peter é brutalmente agredido por três homens que o enviam para o hospital e atrasam a conclusão do contrato.
Aí, Peter conhece Júlia (Cláudia Vieira), uma enfermeira que o ajuda a curar o corpo e a alma.
Peter apaixona-se por Júlia.

Para aceder a Georgios Thanatos, Peter resolve pedir ajuda a Luís (Vitor Norte), um antigo companheiro nas forças especiais norte-americanas a quem Peter salvou a vida em Granada ‘85.
É por puro acaso, numa conversa com Mónica (Sofia Aparício), a ex-mulher de Georgios, que Peter fica a saber da enorme paixão de Thanatos por obras exclusivas e muito valiosas, numa altura em que é anunciado um leilão onde irá ser licitada uma primeira edição do D. Quixote de La Mancha.

Peter consegue, através de uma brilhante manobra, chegar finalmente a Georgios Thanatos.
Georgios Thanatos, fascinado com Peter, enceta com ele uma grande conversa, sobre arte, cultura e ética, como se uma velha amizade os unisse.
Antes de morrer, Georgios Thanatos encomenda a Peter a morte do mandante do seu assassínio, o Careca, seu braço direito, para quem a ética é uma palavra sem significado.

Julgando o caso encerrado, Peter volta-se para a sua paixão, Júlia.
Só que Júlia não é quem Peter pensa que é.
E mais uma vez, a ética sobrepõe-se às emoções.
E o fim será certamente surpreendente.

3 comentários:

Bruno Castro disse...

A Cláudia é mesmo linda, até ficou num honroso 9º lugar, mas cá para mim ficava em 1º...

http://www.brunocastro.org/2008/05/claudia-vieira-9-mais-bonita-do-mundo.html

litso disse...

Sem dúvida que es das mais bonitas mulheres portuguesas....sou u teu gand fã..
esperu pelo filme, pois nao posso deixar de ver um trabalho teu...
es linda Cláudia Vieira

ArmPauloFerreira disse...

@ Bruno Castro & Litso: Podem crer que a Claudia Vieira é mesmo uma mulher espantosa. E neste filme parece que a temperatura subiu a pontos de não ser precisa a roupinha...