sábado, 31 de maio de 2008

Rock In Rio Lisboa 2008... pela TV (Amy Winehouse... que fraco show)

E o tão esperado 1º dia do Rock in Rio '08, lá  começou...
Não fui mas vi pela tv. O que a tv pode mostrar...
Ver pela tv espectáculos musicais não é a mesma coisa que os presenciar mas dá para ter uma boa ideia do evento.
Cheio, cheio, cheio!!!

Acho que as pessoas aderem a estes mega-espectáculos pelo prazer de lá estar. O slogan "Eu vou!" está muito bem adequado. Penso assim porque entendo que não é bem... só pelos cantores ou alguns que faz a malta participar nestes eventos. É a alegria de estar presente que motiva a malta. Apoio e é bom para quem foi pois é uma excelente experiência pessoal e colectiva.

Umas palavras à actuação da Amy Winehouse...

Lastimável concerto que ela deu. A maior parte de quem lá foi queria ver um concerto dela. Ela compareceu e cantou. Menos de uma hora...
Acreditem que sinto uma certa empatia pela moça. Não vive a vida como um qualquer artista ou vive-a de uma forma totalmente em destruição pessoal. É  pena porque ela sabe cantar, é inteligente, de bons gostos musicais e até era uma mulher apresentável aqui há uns anos atrás. Nos dias de hoje ela não passa de uma ideia do que foi... de alguém que em disco tem imensa garra e uma potente voz soul acompanhada por excelente sonoridade.
Mas o concerto dela não foi absolutamente nada. Caos absoluto e mau demais. Ela salvou-se por assumidamente não ter vergonha do estado em que está e especialmente por ter uma banda superlativa ao mascarar a quase ausência dela nas canções que iam desfilando. Vinhos, drogas e excessos para aparecer em palco tudo isto numa pessoa frágil dá no que todos viram. Curiosamente o nome Winehouse poder-se-á traduzir livremente para a nossa lingua como "casa do vinho"...

Tenho empatia pela Amy Winehouse. No fundo acabou por ser profissional pois apareceu e não defraudou as expectativas de quem a queria ver...
...e todos a viram realmente!
Faltou foi dar um concerto decente mas marcou o 1º dia do Rock In Rio '08.

Antes e depois dela estiveram no palco Paulo Gonzo, Ivete Sangalo e Lenny Kravitz. E claro muita animação e mais músicas por todo o parque.





Fotos do site do Rock In Rio

7 comentários:

Zana disse...

Humm, pelo modo arrumado como escreve, pela fluência e pelo nível do vocabulário, algo me diz que não teve professores palhaços, mas sim aqueles que realmente aprenderam a dar aulas, mesmo que aborrecidas. Pelo seu positivismo e humor, não me parece que essa tortura o tenha traumatizado tanto. A escola é uma local de trabalho, não concorda? É assim que tem que ser assumida, shows, palhaçadas e anedotas são para "cá fora". Parabéns pela alegria e feliz dia da criança ;)

ArmPauloFerreira disse...

Acertou e em muitas...
Junte a isso a formação em escola de artes e a convivência com quem a frequenta, normalmente com pensamentos e gostos evoluídos. Também a experiência da vida e a procura constante pelo lado positivo da vida.

A escola é onde se trabalha o crescimento da pessoa. Um professor tanto pode despertar um aluno para aprender como também pode destruir a relação com a aprendizagem. A escola é um local importante, pois é por onde a criança tem a mais forte relação de sociedade e diferentes estilos e vivências. É um assunto complexo demais para mim até.

Percebo pelas suas palavras que está relacionada com o ensino.
http://armpauloferreira.blogspot.com/search/label/ensino

É curioso estarmos a quase debater este assunto num artigo sobre o rock... Zana

Cumprimentos e vá aparecendo!

JPCarvalhinho disse...

Boas...

Eu Fui (tm) mas ao contrário dos muitos que foram e que desconheciam a realidade da cantora, não fiquei decepcionado.

Temos presente uma das melhores artistas da actualidade, compositora fantástica, e uma voz surpreendente... em que o tempero das drogas e auto-destruição, que fazem vibrar estas suas qualidadea, acabam também por tomar de assalto a sua presença, toda ela... um caco.

Fui mas não fiquei desiludido... exactamente pelo que disseste. Porque ela foi, cantou, pediu desculpas pelo estado em que estava, mas cantou, mostrou-nos a sua brilhante banda, que, como é obvio estão mais do que habituados a este tipo de show já que isto é que é o habitual, e não o que ouvimos nas nossas aparelhagens.

Tive pena, ou melhor... empatia, por uma jovem fabulosa de 24 anos, que provavelmente, e infelizmente poderá não voltar a pisar solo português... porque este estilo de vida dá cabo de uma pessoa, e como tantos outros (e.g.Jim Morrison) tendencialmente abandonam-nos antes do tempo.

já agora um reparo para o que se tem escrito e dito por essa net fora sobre este assunto... É ridícula a quantidade de comentários negativos sobre este assunto. Neste caso a culpa não foi de ninguém pelo mau concerto, excepto do público.. que foi à espera de ouvir um "cd" naquelas colunas gigantes e apanhou de frente com a realidade que é bem diferente!

ArmPauloFerreira disse...

Disseste o mesmo do concerto e em sintonia com o que já esperava dela. Até acho que ela no Rock In Rio impeliu-se a cantar pois noutros apenas tem proferido sons fonéticos das suas palavras para parecer que canta e as vozes da banda têm feito o resto... Não fiquei surpreendido com a actuação el apelo que até achei que ela tentou ao máximo ser profissional mesmo estando sob influência. Tentou cantar, tentou dançar, tentou tocar guitarra, tentou animar o seu público... enfim tentou fazer muito mais do que realmente podia. É pena mas torço por ela para que se aguento por muito tempo.

Off-topic: os teus artigos sobre servidores pararam no 3º capítulo. estava a contar com um 4ª e o tal que relatava outra experiência (sapo) com o Mac OS X server...

JPCarvalhinho disse...

é...infelizmente as "instituições" são as mais difíceis de obter respostas...

Vou tentar com insistências durante esta semana já que para a semana vou para o Algarve...

Wellington Almeida disse...

Ah, mas aquilo foi um clássico. Quem é que estava ali que vai esquecer dessa noite? Para os anais da história da música pop ;)

ArmPauloFerreira disse...

Também acho que foi uma noite memorável e em muitos sentidos. A Amy marcou o primeiro dia mas os restantes estiveram muito bem.