terça-feira, 2 de março de 2010

Canais de TV: as mini-series da TVI, "37" e "Destino Imortal" (e breves sobre "Lua Vermelha" da SIC)

No passado Domingo estreou mais uma nova mini-série (de 6 episódios) na TVI e... até gostei de ver esta "37".


Não percebi porque se chama "37" mas não faz diferença.

Se calhar foi por não ter visto os minutos iniciais... (e o resumo do jogo da derrota do FC Porto aos pés do Sporting, na RTP1, não ajudou mesmo nada depois)

É uma mini-série policial onde se investiga umas estranhas mortes em regime serial-killer e os indícios apontam para muitos suspeitos e a suspeita principal a personagem de Sofia Alves.

Esta nova mini-série não está má mas tem muitos tiques de novela, no entanto, lá vai deixando sempre indícios de que nada é o que parece e lá consegue manter o interesse de ver no que vai dar. Esperemos que a opção de contarem o arco de "37" em 6 episódios não seja tempo prolongado demais...



E por falar nesta mini-serie, devo desde já esclarecer que gostei muito de ver a anterior, a "Destino Imortal".


Tinha as suas coisas criticáveis mas no geral e pela ambição de fazer algo diferente do costume estava na execução aceitável e ao nível de certas ideias na narrativa até bastante boa, para o que é normal tuga.

Se pensarmos bem são principiantes no género, e ao menos não era tão demasiado descarada a roubar da saga Twilight, ao passo que a outra a da SIC já copia completamente esta referência.
Acho que a SIC errou em avançar logo para série com imensos episódios onde acontecem coisas a mais e os vampiros são mais um pequeno detalhe no caldeirão. Neste capitulo a TVI revelou ser mais cuidadosa ao criar algo de mais curta duração e muito melhor focada no assunto principal, sendo tudo o resto secundário. Em minha opinião, da "Lua Vermelha" nada se aproveita, detesto-a totalmente pela falta de objectivos mais maduros (isto é mesmo para um público demasiado juvenil mas nem esse público merece algo tão imberbe) e porque há coisas a mais por lá. Não aguento ver mais que meros uns minutos quando aparece no zapping...

Tecnicamente a TVI, mostra com estas mini-séries que tem condições para fazer algo mais que novelas e que as novelas lhes fez apurar o método. Ao nível do som (aquilo vem em Stereo pensado para transformar em Prologic 5.1) é um estrondo espectacular, a imagem, os cenários, a iluminação e até os figurantes, estão num bom nível já.
Falta-lhes depurar mais a dinâmica dos argumentos e principalmente melhorar muito os diálogos, para que os actores possam dar uma melhor performance.

As promos da "Destino Imortal" não eram muitos felizes precisamente pelos diálogos...


Tudo isto, melhora imagem e aceitação deles mesmos perante as histórias que nos servem. E à TVI actores e actrizes não faltam...

Em boa parte, esta nova vertente da TVi pode muito bem vir a ser responsável por uma nova abertura também ao cinema português, pois se estas "produções especiais" se prolongarem, o hábito de ver em português, e a possibilidade de dissociar a produção nacional mainstream do género "telenovela", pode vir a abrir novas possibilidades de aceitação nacional. No fundo, isto pode acabar por vir a ser uma "educação" para o nosso povo.

O que falta é fazerem então mais mini-séries e se possível sempre diferentes. Fizeram já o tema fantástico, estão agora com o policial... então, numa próxima gostava de ver algo mais para o sci-fi.
Mas a verdade é que o caminho é este: fazer bastantes mini-séries (um género de menor duração que uma série mas a roçar o telefilme em várias partes) para depurarem o modelo e com isso criar um público para as ver. Mudar o paradigma nacional de imensas telenovelas infindáveis para contarmos também no futuro com seriados (limitados em números fixos de episódios, em packs de temporadas)... parece-me óptimo.
Tem de se começar por algum lado e se não se fizer nada... como poderemos vir a ter séries nacionais?

4 comentários:

Geração HD disse...

Sabes que mais ?
Qualquer dia parecemos os indianos com imitações e plágios.

lol

ArmPauloFerreira disse...

Eia... não vamos tão longe na comparação. O que pretendo dizer é que temos de ir no mesmo sentido que foram sempre os espanhóis por exemplo. Muita produção e muita insistência deu no que hoje se vê como uma indústria válida mundialmente, ao nível de actores, realizadores, produções, argumentos, criatividade, etc.
O problema de Portugal foi ter insistido sempre na criação de autor e elitista (e muito financiadas pelo Estado e a quem o povo nem liga).
Não queremos cá uma Bollywood... nem era nesse sentido as minhas observações.
No fundo, contrariar a recorrente má vontade com que se olha para o que por aqui se faz e a ideia de que fazemos tudo mal e copiado.

Jackie Brown disse...

Lol, eu cá não suporto nada que tenha "o selo de qualidade TVI".
E isto parece-me um óbvio plágio de algo que, aparentemente (ainda não vi Twilight) não merecia sequer ser plagiado.
Mas deve ser o meu ódio de estimação a falar :P

Parabéns pelo blogue, convido-te a visitares o meu ;)

ArmPauloFerreira disse...

Vi o twilight e não acho a Destino Imortal um plágio. Até se afasta um pouco do twilight. Já a Lua vermelha, essa sim e até chega a ser descarada (planos, poses, etc).
Mas isso de acusar de ser plágio tem que se lhe diga, pois o que se dirá por exemplo da bem sucedida série americana "The Vampire Diaries"? Também é plágio de twilight?

O selo TVI não me diz nada, logo eu que até vejo muito pouco o canal... mas esta ideia de fazerem mini-series cativou-me e é algo que poderá vir a ser mais importante do que aparenta.