domingo, 3 de abril de 2011

Cine-critica: An education (2009)

An Education
Uma Outra Educação
(2009)



Realização: Lone Scherfig
Com: Peter Sarsgaard, Carey Mulligan, Olivia Williams, Alfred Molina, Rosamund Pike, Emma Thompson...



Achei interessante o facto de existirem diversas forças a modelarem as razões que levam a se aceitar ou não um rumo de desenvolvimento e construção de uma pessoa. Neste caso, a fase decisiva do futuro de uma jovem, numa época em que por melhor equacione os factos, a sua condição feminina a confinará a muito pouco. E esta jovem de 16 anos pretende imenso, tal como os seus pais igualmente desejam. Continuar a estudar parece-lhe redutor quando entende que de pouco lhe servirá, pois o modelo em voga será ter um bom casamento e ficar em casa para apenas tratar do lar.


Na verdade, é dessa forma que os pais a vão orientando e a incitando à escolha de um bom pretendente, cuja conduta a possa bem sustentar. Facto que já ia sucedendo pois um aparente cavalheiro, mais maduro e experiente, a tem aliciado. Contudo, vai seduzindo-a para uma espécie de libertinagem, apresentando-lhe a possibilidade da boa vida glamourosa e dos vícios.
As correntes culturais são um forte atractivo para esta jovem culta e mais ainda o será, ao desfrutar dos prazeres de conviver com as elites artísticas, no entanto o que parece perfeito a coloca num caminho desviante.


As novas experiências despertam-lhe o contradizer dos valores educacionais, confrontando as suas professoras ao enaltecer os prazeres conquistados perante a vida enfadonha que a instituição a conduz.
No fundo essa é a tal outra educação, que transformam uma jovem ingénua (que nem sequer mentia) numa adulta precoce, onde nem sequer faltou ao "bon vivant" os exemplos com uma banana...

Um retrato realístico e bem edificado que, tal como na realidade, cedo se percebe que a vida dá muitas voltas e que a entrega a uma vida de ócio e facilitismo, escondem um preço a pagar. Este despertar de consciência fazem-na compreender os dilemas pessoais que despontam, principalmente por uma das suas professoras.


Muito bem interpretado, com especial destaque para Carey Mulligan e alguns secundários, especialmente a Olivia Williams que fez imenso com tão pouco.
Um grande filme, sóbrio com uma realização segura e eficaz. Apesar de aparentemente parecer simples, não é nada enfadonho e permite-se a despoletar algumas reflexões.

Altamente recomendado.

Classificação:
(7,5 ~) 8 /10

2 comentários:

Bruno Cunha disse...

Sem aparente razão, nunca me interessei por este filme.

Abraço
Frank and Hall's Stuff

ArmPauloFer disse...

Descobre-o pois até acredito que te vai arrebatar. Este é o grande cinema do fazer muito com pouco.