sábado, 15 de setembro de 2012

Cinergia - revista digital de cinema (e gratuita!)

Revistas de cinema nas bancas são fáceis de nos apercebermos da sua existência. Agora revistas cuja existência é unicamente na web, a montra expositora já não é tão facilitada devido à desconcentração e caos que é a internet. O facto é que há algumas edições nacionais, de leitura e apreciação gratuita, feitas com todo o altruísmo de muitos dos nossos bloggers cinéfilos.

Apresento então a existentes publicações da "web-revista" Cinergia, cujos autores são, entre muitos outros ilustres bloggers como João Palhares acompanhado de Daniel Rodrigues, Luis Mendonça, João Lameira, Álvaro Martins, Carlos Natálio e muitos outros. Há por aqui imensas criticas, textos sobre o mundo do cinema, entrevistas, etc numa publicação de bom nível e com um design com um travo retro (lettering, as fotos a preto-branco, etc)


A mais recente edição, a #2 de Setembro 2012:



A anterior edição #1, de Janeiro 2012:



A Cinergia é por mim altamente recomendada. Enjoy it!

4 comentários:

Jorge Teixeira disse...

Só tomei conhecimento da revista há pouco tempo, e do que já li tenho a dizer que é muito boa. Imprime conhecimento e visões únicas, raras dentro do panorama actual, que se baseia quase sempre em Trailers, Posters, Notícias, Antevisões, e pouco na "pós-análise". Atenção que também gosto dessas notícias e euforias comerciais (quem não gosta de vez em quando?!), o problema é que existe demasiado disso em relação à crítica propriamente dita. É a força dos tempos, dos media e da superficialidade em que vivemos hoje.

Cumprimentos,
Jorge Teixeira
Caminho Largo

ArmPauloFer disse...

A revista é sim de um nível muito bom e elevado.
Quanto às observações sobre a superficialidade actual de muitas outras publicações... não desminto isso também e de certa forma faz sentido uma vez que a a 7ªarte mais comum para o povo são também as obras superficiais. Não é fácil e exige imenso ser mais profundo, reflectir, etc... no fundo a "pós-analise" como bem referiste. Por mim digo o mesmo aqui no blog (falta de tempo também), que acabo a lidar com o que acaba por ser mais superficial também. É a vida!

Jorge Teixeira disse...

Claro, nem tudo na vida tem de ser profundo, complexo e arduamente reflectido. Longe de mim estar a fazer qualquer tipo de observações e julgamentos a esse nível. Sou dos que considero que a pluralidade e a diversidade deve sempre existir (nem que seja para comparação). O problema aqui é a não existência ou quase (esta revista é uma excepção) de um lado, da tal pós-análise, que é esmagada pelo outro.

O tempo aqui também dita muito, como bem referes, e nem todos estamos dispostos a dedicar igual tempo ao cinema como alguns estudiosos dedicam (daí também a sua importância). Por exemplo, neste espaço, muito teu, abordas vários assuntos, não somente o cinema, daí também a dificuldade e o resultado efectivo do que obténs e transmites aos leitores. Pessoalmente é uma forma de abordagem que me cativa bastante, até porque este formato, digamos, não é muito comum na blogosfera.

umprimentos,
Jorge Teixeira
Caminho Largo

ArmPauloFer disse...

Epá... obrigado Jorge!
Este meu espaço, que tem passado por uma existência mais moribunda que activa (e que tento recuperar a vida que já teve), foi sempre isto: polivalente e que nele se percepcione os meus interesses gerais e desabafos. Nunca foi um blog puro de cinema ou de outro tema especifico. É um blog misto.

Quanto a esta revista, conheço-a desde o nr1 e o que sempre me agradou na publicação é a coesa coerência entre todos os participantes, que quase dá a sensação de qualquer artigo poder ser escrito por qualquer um pois o resultado seria o mesmo no final.
Há uma outra publicação, a "Metropolis" onde desde a 1ª edição pressinto nela que os participantes são divergentes, resultando em artigos que são só específicos a quem os fez. Em breve publicarei um artigo para essa revista.

E de certa forma, um dia destes tenho de criar uma reflexão mais cinéfila... o vosso (bom) top 2011 faz-me indirectamente gerar alguns pensamentos até.
Sem compromissos...