sexta-feira, 10 de junho de 2011

Leitura cor-de-rosa... nos jornais

Gosto de ler jornais. Normalmente ou o Jornal de Noticias ou o Público (então este à Sexta é irrecusável, só o suplemento Ipsilon é razão para o ir buscar sagradamente às bancas).

Uma tendência cada vez mais crescente são as noticias cor-de-rosa abundarem nos jornais sérios e em muito exagero nos pasquins (Correio da Manhã e afins)... mas é inegável que metem sempre umas "noticias" e mexericos que despertam a atenção e nos desviam os olhos...

4 comentários:

detective particular disse...

Parabens pelo blog.
Eles vendem noticias...

ArmPauloFer disse...

Vendem mesmo... e de que maneira!

João Sousa disse...

Eu sei que ainda há muita gente que chama ao DN um jornal de referência. Mas hoje não o é. Há algum tempo que se tornou num pasquim, trocando a página 3 do Sun pelas duas páginas centrais de anúncios "a cores".

A ideia de que os jornais "vendem notícias" não é tão afastada da realidade. Com o fenómeno da Internet, dos motores de busca e da publicidade online, o trabalho da maioria dos jornalistas é mais captar cliques do que reportar e analisar as matérias. Um título polémico tem mais valor do que notícias de qualidade.

Parece-me que o jornalismo de qualidade vai-se reduzir a um ou dois diários, que se podem fazer cobrar a um grupo de leitores que prefere pagar para ter conteúdos de qualidade; e a um ou outro semanário ou revista, que pela sua periodicidade se permite dar tempo ao jornalista para investigar.

--

A minha relação com estas notícias cor-de-rosa é um pouco como a minha relação, na adolescência, com os animais atropelados que eram gradualmente consumidos pelas formigas: curiosidade científica, mas nunca quereria arrastar um para casa.

ArmPauloFer disse...

João essa analogia dos animais mortos consumidos por formigas... foi muito boa essa.
É assim não tenho na verdade nada contra este tipo de noticias... ao menos visualmente vão sendo sempre apelativas.
Culturalmente não trazem é nada... but who cares, right? E vendem, sem dúvida!