quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Steve Jobs e Bill Gates: Visionários da tecnologia... (com participação extra de João Sousa)

Visionários da tecnologia
por João Souza

Steve Jobs e Bill Gates, em 1982

"É muito frequente colocar-se lado a lado duas pessoas como sendo "visionários da tecnologia":
Bill Gates e Steve Jobs.
Discordo.


Bill Gates foi um muito competente homem de negócios - porque deixou satisfeitos os accionistas da Microsoft com as suas estratégias negociais. Mas visionário, discordo. A única visão que teve foi "um computador em cada secretária". Ora essa visão não englobava necessariamente como o computador devia ser, ou como o dono da secretária podia interagir com o seu computador - apenas englobava meter lá o seu software.


Steve Jobs, pelo contrário, tem primado na sua actividade pela idealização de (na maior parte) bons produtos de tecnologia. E são bons não apenas pela tecnologia em si, às vezes até NEM TANTO pela tecnologia em si, mas pela utilização que permitem. A Apple, quando faz um produto, parece ter sempre em mente que esse produto irá ser usado por um ser humano - e vai buscar o necessário para esse efeito. Isto, sim, é ter uma visão (funcional) sobre a tecnologia.


[De notar que eu digo "idealização" porque Jobs nunca foi um engenheiro particularmente dotado, sendo sim um designer de produtos.]


Quando eu olho para trás, penso num conjunto de produtos de Steve Jobs que marcaram a história da tecnologia: Lisa, Macintosh, Next, NextStep, iPod, iTunes, iPhone. Quando eu penso em produtos revolucionários da Microsoft... não me ocorrem muitos. O Intellimouse?


[Não coloco ali o OS X porque este é, na essência, uma evolução do conceito NextStep, esse sim o revolucionário UNIX fácil de usar.]


É também de justiça fazer um reparo: podia substituir os nomes "Steve Jobs" e "Bill Gates" por, respectivamente, Apple e Microsoft, pois se cada empresa tornou-se, pela sua actividade, uma personificação do seu criador, também é verdade que a criação de produtos, sejam bons ou maus, é um esforço de equipa.""


Este artigo foi criado com um texto/comentário de João Souza, um participativo visitante deste blog, facto que muito me orgulha com comentários de excelência. Neste caso o contexto era sobre o melhor CEO da Década e o quanto foram visionários.


Mais sobre estes dois...

Acrescento ainda o que o próprio Steve Jobs disse sobre a Microsoft, à "Triumph of the Nerds" em 1996:
O único problema com a Microsoft é pura falta de gosto. Eles não têm gosto nenhum. E isto não é um pormenor. Não têm ideias originais e não trazem cultura nenhuma para os seus produtos.” (via Publico)

Um ano depois destas palavras contundentes de Jobs, seria a Microsoft, através de um acordo importantíssimo que estabelecia uma parceria entre as duas empresas, quem ajudaria a Apple de Steve Jobs a evitar a falência. (saber mais em:
"Recordar o 6 de Agosto de 1997... Apple e a parceria com a Microsoft")
Steve Jobs e Bill Gates, em Maio 2007

A visão de Steve Jobs, sobre tudo que move o mundo, era tão forte que a sua mensagem se tornou largamente célebre quando se discursou na Universidade de Stanford.

Video do discurso de Steve Jobs em Stanford...


"Quando eu tinha 17 anos, li uma frase que era algo assim: “Se você viver cada dia como se fosse o último, um dia ele realmente será o último.”
Aquilo me impressionou, e desde então, nos últimos 33 anos, eu olho para mim mesmo no espelho toda manhã e pergunto: “Se hoje fosse o meu último dia, eu gostaria de fazer o que farei hoje?” E se a resposta é “não” por muitos dias seguidos, sei que preciso mudar alguma coisa.
Lembrar que estarei morto em breve é a ferramenta mais importante que já encontrei para me ajudar a tomar grandes decisões. Porque quase tudo — expectativas externas, orgulho, medo de passar vergonha ou falhar — caem diante da morte, deixando apenas o que é apenas importante. Não há razão para não seguir o seu coração.


Lembrar que você vai morrer é a melhor maneira que eu conheço para evitar a armadilha de pensar que você tem algo a perder. Você já está nu. Não há razão para não seguir seu coração.
Há um ano, eu fui diagnosticado com câncer. Era 7h30 da manhã e eu tinha uma imagem que mostrava claramente um tumor no pâncreas. Eu nem sabia o que era um pâncreas.
Os médicos me disseram que aquilo era certamente um tipo de câncer incurável, e que eu não deveria esperar viver mais de três a seis semanas. Meu médico me aconselhou a ir para casa e arrumar minhas coisas — que é o código dos médicos para “preparar para morrer”.
Significa tentar dizer às suas crianças em alguns meses tudo aquilo que você pensou ter os próximos 10 anos para dizer.
Significa dizer seu adeus." (discurso completo em MacMagazine.br)

Para terminar, uma notas finais sobre Bill Gates e a reacçao sobre a morte de Steve Jobs (via Público):
Bill Gates, que tem a mesma idade de Jobs e que, tal como o fundador da Apple, ajudou a impulsionar a indústria dos computadores pessoais, escreveu no seu blogue pessoal: “O Steve e eu conhecemo-nos há quase 30 anos, e fomos colegas, concorrentes e amigos durante mais de metade das nossas vidas. O mundo raramente vê alguém que tenha tido um impacto mais profundo que o do Steve, cujos efeitos se vão fazer sentir por muitas gerações.

R.I.P. Steve Jobs, co-fundador da Apple (1955-2011)


1 comentário:

Markos Deh Gomes disse...

realmente steve jobs foi um cara melhor q bill gates! inventou varias coisas, oq bill gates fez? apenas copia as ideias dos outros!